27 março 2020

Posicionamento do PSOL Pernambuco sobre a crise do Coronavírus

O surgimento do novo Coronavírus (COVID-19) desencadeou uma crise em escala global. O vírus já atingiu mais de 200 mil pessoas em quase 150 países, nos 5 continentes, deixando um rastro de morte por onde passa. Diante do rápido espalhamento geográfico da doença, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o novo Coronavírus como uma pandemia no último dia 11 de março.

A grave crise humanitária provocada pela pandemia do Covid-19, portanto, atinge o Brasil com uma economia em desaceleração e com um mercado de trabalho extremamente fragilizado. São milhões de brasileiros em situação de vulnerabilidade, alijados das redes formais de proteção social.

A grande maioria dos governos estaduais e municipais girou para evitar que a pandemia se espalhe, adotando medidas de isolamento social que já haviam sido adotadas por outros países.

Enquanto o Ministro da Saúde seguia a linha de combate ao vírus de acordo com o que propõe a OMS (Organização Mundial da Saúde), Bolsonaro vai na contramão da ciência, estimulando diuturnamente as pessoas a saírem de casa, classificando a pandemia como uma mera “gripezinha”.

Todas as condutas ativas e omissivas desse Governo Federal por si só já tipificam a conduta de Bolsonaro como crime de responsabilidade, o que vem aumentando a cada dia. O que já começava a ficar claro com a responsabilidade desse governo para com as instituições da República ficou transparente neste momento de crise humanitária: Bolsonaro não possui mais condições de estar sentado na cadeira do cargo mais alto da República brasileira.

Caberá ao PSOL buscar junto com outros setores, construir um processo de retirada do Sr. Jair Bolsonaro da Presidência da República por todos os meios disponíveis, incluindo com um pedido de impeachment que envolva os demais partidos de oposição, os movimentos sociais e as entidades respeitadas pelo povo brasileiro, como, por exemplo, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Ou criamos uma grande coalizão de forças para que o processo tenha respaldo suficiente para chegar ao seu intento ou, caso contrário, o impedimento do Presidente da República não terá robustez suficiente no Congresso e nas ruas do Brasil. Nossa bancada federal vai lutar para garantir uma renda mínima emergencial. Tivemos uma grande vitória na votação realizada na noite dessa quinta-feira (26) para esta pauta. Tirar Bolsonaro e derrubar toda sua política econômica é nossa prioridade. Fora Bolsonaro!

Em Pernambuco, é necessário cobrar mais transparência do Governo Estadual, bem como dos demais municípios, principalmente o Recife, quanto à situação real da pandemia. As gestões do governo estadual e do governo municipal, vem mantendo os dados relativos ao novo Coronavírus - bem como da realidade da nossa saúde pública - numa caixa-preta, não fornecendo subsídios para o conjunto da população. Nossos mandatos em Pernambuco têm se colocado como pontos de apoio à população, seja com as Juntas na Alepe ou com Ivan Moraes, na Câmara de Vereadores do Recife.

Assim cobramos medidas mais efetivas da parte do governo e prefeituras no sentido de impedir maiores disseminações do Covid19 e que contribuam para assegurar a segurança alimentar e nutricional das comunidades mais necessitadas, a exemplo de programas de renda mínima e o controle estatal da produção e comércio dos produtos de higienização (álcool gel, máscaras, luvas e sabão) e de equipamentos de proteção de qualidade para serem distribuídos aos profissionais de saúde.

Fiscalizaremos e cobraremos uma atuação coerente do Poder Executivo por intermédio de nossos mandatos, de nossas direções partidárias e de toda à militância do PSOL, colocando sempre a vida do povo em primeiro lugar.

Recife, 27 de Março de 2020