05 novembro 2019

Sem união da oposição contra os oportunistas e compradores de votos, outra eleição poderá ser comprada, novamente.

Observando o cenário local a gente começa á perceber o tanto que falta de pessoas realmente capacitadas e dispostas a atuar por uma cidade melhor, mais organizada, mais saudável, mais educada. No geral o que ainda enxergamos pela frente são pré-candidatos dispostos a fazer o possível e o impossível por seus próprios interesses. E, embora não podemos e nem devemos generalizar é lamentável que os oportunistas estejam mais uma vez em campo.

Dizem que o mundo é dos mais espertos. Eu, porém, discordo deste adágio por diversas questões, que não é o caso de tratar disso agora.

Enquanto os da situação estão no poder arregimentando-se para o ano que vem, armando suas forças e focando sempre na possibilidade do certo esquecimento do povo para tudo o que de ruim já lhes fora feito pelos que tem comprado o poder, usando das mesmas verbas ilegitimas para manterem-se, por outro lado, e não menos lamentável encontramos supostos opositores do atual sistema pensando apenas em seus planos (ainda que sem planos) querendo conquistar uma cadeira seja no legislativo, seja principalmente no executivo. Nada mais que isso. O status é o que tem, no momento, de mais importante na mentalidade daqueles que já estão habituados á fazer pouco esforço para obterem o que e preciso ser conquistado.

Com as novas regras eleitorais em campo há, surpreendentemente, uma pá de gente acreditando que será fácil candidatar-se para vereador ou prefeito e colocar-se á disposição do voto, sendo rapidamente eleitos. Ledo engano de muitos despreparados.

A campanha eleitoral do ano que vem será uma das mais atípicas e mais mesquinha, além de perigosa, do que possamos imaginar.

Isso por que os grupos acostumados á comprar votos (garantindo suas eleições e reeleições) estão raivosos e com medo de não mais terem os status conquistados á grande peso amoedado. E, para não serem de todo envergonhados farão verdadeiros malabarismos para se manterem nos cargos ou para conquistarem (e até reconquistarem) suas confortáveis vagas, seja no executivo ou no legislativo.

Diz certo ditado popular que o mal é organizado. E isso temos que ter em mente, que tal adágio pode ser verdadeiro.

Pelo que estou vendo daqui de minha plataforma, os que precisam se arregimentar estão dispersos. Sinal de que ainda não há (sem generalizar) os realmente interessados em ter uma cidade dentro dos moldes do que pode ser uma cidade evoluída e comercialmente produtiva.

E eu costumo dizer que estamos devendo 100 anos ao progresso em nossa cidade. É preciso acordar da letargia enquanto ainda temos tempo.

O fato real é que sem a união da oposição outra eleição poderá ser comprada, novamente. 

Portanto, ou se unem ou serão engolidos e tragados pelos politiqueiros e profissionais da política local, tão venenosos, quanto perigosos e mortais.