22 maio 2017

Funcionários Municipais de Barreiros, poderão ir à promotoria amanhã, dia 23/05 para forçar pagamento de salários não pagos pela Prefeitura.

Os funcionários municipais da cidade de Barreiros estão em mais um dos dilemas, em se falando de salários não pagos, desde a última gestão municipal.


Assim como aconteceu com a virada de gestão de Toinho da Coca-Cola para a gestão de Carlinhos da Pedreira (2012/2013), repete-se com a virada de administração de Carlinhos da Pedreira para as mãos de Elimário Farias (2016/2017).

No período de final do ano de 2012 uma quantia que serviria para pagamento dos servidores municipais ficou presa sob ordem judicial que só seria liberada no ano seguinte, assim que a nova administração assumisse. Tudo indicava que, nos primeiros meses de janeiro de 2013 os valores não pagos seriam quitados, imediatamente, assim que o novo gestor tomasse as "rédeas" da situação. Acreditando no "um novo tempo, uma nova história", os funcionários esperaram. E só depois de algum tempo e muita pressão, conseguiram receber os salários do mês de dezembro de 2012.

Prestes à sair de sua administração desajeitada, o Prefeito anterior depois de diversos meses de atraso de pagamento de salários do funcionalismo público, consegue contra si o mesmo resultado que ele conseguiu para seu antecessor. Desta feita, sob os auspícios de Elimario Farias (Prefeito Oficial), João Marcolino (Prefeito Oficioso), Thomaz Buarque (Vice-prefeito), o trio de prefeitos com uma nova META, a nova gestão teria conseguido na justiça uma "formula de pagamento do salário atrasado, que já estava em conta à ser feito em até quatro parcelas que entrariam em conta à partir do mês de fevereiro. No entanto, os novos administradores tem, igual seu antecessor, atrasado esta forma de acordo.

Depois de cansarem de tanto esperar e de tanto apelarem por seus pagamentos os servidores públicos reuniram-se e nesta terça-feira, dia 23 estarão entrando com uma ação, junto ao Ministério Público para de alguma maneira, força o pagamento de salários que já deveriam terem sido pagos, desde o mês de dezembro de 2016.

Não se sabe por qual razão o novo gestor não tem conseguido cumprir com sua obrigação administrativa, já que, segundo um dos slogans de campanha seria "pagamento em dia e sem atraso".