16 janeiro 2015

Piloto é o culpado por morte de Eduardo Campos em acidente aéreo?

"Se tudo der certo, o culpado será o piloto"
Em pleno período de campanha, no ano passado, Eduardo Campos (PSB), e mais seis tripulantes tiveram suas vidas ceifadas por razão de um acidente aéreo, em São Paulo. Uma tragédia que o Brasil inteiro chorou e lamentou.

Eduardo Campos despontava como o terceiro colocado nas intenções de votos, com pouquíssimas chances de conquistar sequer os votos dos pernambucanos, quanto mais da imensa nação brasileira. Até o seu pupilo direto, Paulo Câmara (PSB), estava sendo humilhado nas intenções de votos, sendo visto como segunda opção pelo povo de Pernambuco, com meros 8% das intenções de votos. À frente dele, despontava Armando Monteiro (PTB) com margem de aceitação acima de 40 à 43% das intenções, dando praticamente uma lavada, envergonhando assim o neto de Miguel Arraes, com as ambições do senhor Campos.

Depois de sua ultima entrevista na Rede Globo, em que Eduardo Campos responde à William Bonner que não aceitaria o nepotismo com os demais partidos, mas com a mãe dele e familiares dele era aceitável, ele deixa a frase no ar que seria a partir do dia seguinte a carta maior, ou o slogan do PSB para conquistar as ambições do líder do partido. Não vamos desistir do Brasil passou à ser a marca chave, mostrando que com ambição desmedida, tudo se consegue, mesmo tendo que passar por cima de alguns, e/ou burlar situações, mostrando-se limpo, sujando de todas as formas quem quer que fique à sua frente.

No dia seguinte, eis que a noticia chega à partir das mídias oficias ou alternativas. Eduardo Campos morreu em acidente aéreo na cidade de guarulhos. As cidades pernambucanas ficaram em polvorosa, e rapidamente os olhares do povo brasileiro caíram em cima da família campos. Afinal, alguém teria que administrar a "herança" do falecido.

Passados alguns dias escolheram como bote expiatório e vexatório a Marina Silva para candidata (não natural) no lugar dele, e como chavão, a frase inesquecível: não vamos desistir do Brasil!

Uma das intenções maiores, como fator principal e absoluto era fazer com que a mente do povo não fixasse na ideia da morte, e sim, num suposto martire, que surgia à partir de então. Marina concorre no primeiro turno e não chega à ser eleita, embora tenha sido bem votada à partir da morte de Eduardo. Já em Pernambuco, com todo o emocional, Paulo Câmara passa à ser o sucessor do professor e é o atual governador do estado.

Durante todos estes meses pouco ou nada se falava sobre as condições da morte de Eduardo e dos seis tripulantes que estavam na mesma nave. Toda a ideia, como forma obsessiva era mostrar que os possíveis erros não eram de Eduardo e equipe. Precisava-se de um bode expiatório. E nada mais lógico e natural do que colocar a culpa no piloto, como naqueles casos das mortes dos donos de mansões cujos principais culpados diretos, são os mordomos. A imagem do ex-governador de pernambuco deve, de alguma forma, permanecer intacta. Custe o que custar. Doa em quem doer.

No inicio da manhã de hoje, eis que a FOLHA, DIARIO DE PERNAMBUCO, ESTADÂO, GAZETA e demais jornais do país estampam a informação de que o principal culpado da morte de Eduardo Campos e os demais tripulantes foi o piloto.

Dentre as diversas razões ou motivos escusos apontados está uma possível rixa entre o piloto e o co-piloto. Uma outra provável explicação que estão apontando antes do tempo é que o piloto era inexperiente, portanto, fez uma manobra de voo arriscada levando-os à morte. E assim diversas outras teorias à partir de hipóteses.

Não se fala mais do aluguel, em forma de "amizade" do jatinho e do envolvimento das empresas parceiras do ex-governador,não se trata dos pagamentos à vítimas em guarulhos, que estão até o dia de hoje, sem receber indenizações pelos estragos que lhes foram causados. Tudo isso, praticamente, agora é passado.

Graças à morte do santificado Eduardo Campos, o senhor Paulo Câmara consegue chegar ao poder, atendendo supostos pedidos do saudoso homem de olhos ambiciosamente brilhantes. Ainda, graças à morte de Eduardo, sua esposa e viúva receberá em torno de 16 mil e 800 reais vitalícios, e seus filhos mais de 3 mil e 300 reais como uma compensação pela enorme perda do ex-governador. As familias que foram massacradas em Guarulhos, até então, nada de dinheiro e nada de serem indenizadas...

Como a estratégia está na cara de todos e só não ver quem se finge de cego, daqui à alguns dias sairá uma nota oficial apontado como principal responsável o piloto e o co-piloto, deixando para as familias destes a responsabilidade dos pagamentos das indenizações às vítimas do acidente aéreo em São Paulo, livrando assim toda e qualquer responsabilidade à quem de fato merece. Neste caso, fiquem tranquilos,que a familia Campos e os principais cabeças do PSB de Pernambuco, são inocentes.

Em outro momento a culpa seria do mordomo, mas como desta vez as coisas mudam, o piloto será o culpado!