03 janeiro 2019

Funcionários da Prefeitura de Barreiros iniciam 2019 sem previsão de receber os salários atrasados.

Depois de passar o natal e final do ano de 2018 com apenas metade do décimo terceiro salário, os funcionários da Prefeitura de Barreiros tem um outro drama pela frente, não sabem quando ou se receberão os salários atrasados do ano passado.

A prefeitura não revela quando ou se pagará ao funcionalismo e nem se haverá pagamento total ou parcial do que estão à dever aos servidores.

Há funcionários que estão completando quatro meses sem receber e reclamam da falta de tudo em suas mesas.


O Prefeito, não dá uma palavra sequer. E as reclamações são muitas, vindas de todos os lados.

Mas o que mas impressiona é que estes mesmos servidores que estão sem receber não abrem uma denúncia formal nos órgãos competentes de maneira à forçar que a Prefeitura cumpra com sua obrigação.

Esse é o triste retrato que os barreirenses vem vivendo nesses últimos tempos. Há uma marca de prefeitos ruins ou péssimos de pagamentos na cidade de Barreiros que são conhecidos e apelidados de veiacos, que são os maus pagadores.

João Baleia e Elimário, são apenas reflexo de Cleto de Gilberto e Carlinhos da Pedreira, ex-prefeitos que tem um histórico de maus pagadores e atrasadores de salários à frente da administração pública. A continuidade de maldade que esses tem para com o funcionalismo público municipal, é de espantar.

Mas, infelizmente, parte dessa responsabilidade vem dos mesmos eleitores que reelegem as mesmas caras pintadas para administração dos bens públicos.

Enquanto os mesmos servidores não forem à justiça reclamar por seus direitos, a mesma justiça acreditará que nada está acontecendo, já que não tem denúncia, tão pouco, reclamação.

E o pior é que ainda corre-se o risco de ficarem sem ter aonde ou à quem reclamar, se o atual Presidente eleito acabar com o Ministério do Trabalho, conforme o mesmo vem sinalizando desde antes, em plena campanha, depois de eleito e agora, já empossado. Por que, segundo ele, existem milhares de reclamações do trabalhador contra seus empregadores. Em outras palavras, reclamar pra quê? Eles querem é manter o cabresto do servidores à base do servilismo escravagista.

Ou seja, se o povo de Barreiros não correr para reclamar ou reivindicar por seus direitos, poderão nada mais receber e tudo ficar como está.

A gestão municipal, assim como as anteriores no cenário barreirense, pouco ou nada está se importando com os reclamos, tão pouco, com as condições dos servidores públicos, afinal de contas, estão mais interessados mesmo é com o pacote de maldades que está prestes à vir para todos os brasileiros.