19 agosto 2018

Desintoxicando a "cultura" política dos últimos tempos e renovando minha mente



Todas as vezes que pego o computador para escrever algum assunto novo sempre me deparo com as mesmas informações à minha frente, todas elas voltadas à questões politicas. Afinal de contas, há dois fatores que devem ser considerado.

Passei boa parte de minha vida como blogueiro, intoxicado com assuntos em torno do tema política, de uma maneira ou de outra está inserida em tudo. Somos seres políticos e movidos à política. Fazemos política quando simplesmente conversamos com alguém, ou quando defendemos nossos pontos de vistas enquanto outros fazem o mesmo, tentando, nos convencer do contrário.

É sabido que estamos em época de eleições para deputados, senadores, governadores e presidente. E isso tudo, num plano eleitoral dos mais complexo possível, tendo um cenário nacional complicadíssimo.

O Brasil tem passado nesses últimos tempos por uma crise de identidade como nunca aconteceu noutros tempos e em outras épocas.

De alguma maneira, se você não fala, não sente, não respira política, infelizmente, não tem noção de verdade das coisas que estão acontecendo bem na frente de tua casa, ou até mesmo, no quarto ao lado, dentro das mesmas paredes imobiliárias que você habita.

Mas, pra quem vive falando o tempo todo desse mesmo assunto, para desintoxicar-se é uma parada das mais difíceis que se possa imaginar.

A mesma coisa acontece também com relação à religião. Você pode até não querer falar ou não ver, mas de alguma forma, esse tema está ali, na tua frente, te chamando, te convidando à repensar seus passos à luz de seus conhecimentos e/ou pregações.

Claro que estou falando aqui da boa religiosidade, não daqueles religiosos que batem à sua porta, em pleno domingo, querendo te chamar a atenção para o que, naquele momento, não te é importante.

Pronto... falando assim, aparecerão aqueles que já tem uma ideia formada acreditando que eu sou anti-cristão, anti-religioso, ou coisas desse jazz. Ultimamente tenho aprendido à não dar ouvidos e nem me preocupar com aqueles que pensam assim. Eles tem as realidades e necessidades deles. Eu tenho minha forma de vida e filosofia bem diferente deles e talvez, até, bem distante de seus caminhos. Mas, nem por isso, quer dizer que estemos errados. Só estamos em caminhos opostos.

Mas, enfim, estou de verdade, tentando me desintoxicar dessa coisa toda, buscando outros rumos, outras falas, outros ideais. Não largando, claro, meu posicionamento pessoal e coletivo.

Tal postura, certamente, poderá criar diversas objeções naqueles que me conhecem há anos. Porém, a única coisa que tenho de verdade a falar é que: ha tempo para tudo sob a face da terra, conforme disse Salomão num de seus provérbios.