19 maio 2017

PMDB contra PMDB? Requião lança manifesto no PMDB pelas diretas Já!

Senador Roberto Equião do PMDB do Paraná pede diretas já
Como podemos observar as estruturas do PMDB, um dos maiores partidos de história no Brasil estão entrando em derrocada. Tá havendo, não de agora, um recha interno dividindo os nomes e os homens e mulheres daquele partido. Que, igualmente, está atolado no lamaçal de corrupção que envolve as principais lideranças daquela sigla partidária.

Recentemente, um dos líderes, Eduardo Cunha, foi preso e sentenciado há 15 anos de prisão. Porém, mesmo dentro da cela ainda ganhava (ou ganha ainda) altas somas em dinheiro para manter-se calado, para não DEDURAR seus comparsas. E como não poderia ser diferente, o atual líder maior, à frente do governo do estado maior, Michel Temer, louco e ambicioso pelo poder, é pego em gravação que o incrimina por tentar obstruir a Operação Lava Jato. Seu cargo, por um fio, o leva à continuar mo poder, não renunciando, para não perder a imunidade. Se ele abdicar do poder, cai imediatamente. Já com o foro parlamentar, está brindado. Vê-se então que o PMDB de José Sarney está à bancarrotas.

Do estado do Paraná, o Senador Roberto Requião, um dos mais influentes pemedistas atuais, parece ir contra a maré do grupo. E, de uma forma diferenciada, lança publicamente campanha contra o PMDB dentro do PMDB. Dá pra entender?

Esta é a matéria publicada no Blog do Esmael Morais, diretamente de Curitiba, a cidade modelo do pais, e igualmente, palco central para a LAVA JATO, em que mostra que o Senador Roberto Requião lança um manifesto que, à meu entender, é do PMDB contra o PMDB.

REQUIÃO LANÇA MANIFESTO NO PMDB PELAS DIRETAS JÁ

Requião pede em seu manifesto hajam "eleições já! Diretas para Presidente", Já que, segundo ele estas são as "garantias dos direitos do povo com o Estado social. Constituinte!”

Em dado momento de sua fala/manifesto, Requião diz que "é preciso que o PMDB passe à frente e se ponha na liderança em busca de uma saída para o grave impasse que imobiliza e ameaça o nosso país".

Ele ainda afirma que "o nosso silencio (do PMDB), a nossa omissão ou a nossa conivência com o que acontece, na insana esperança de se dar tempo ao tempo para que os dias passem, a indignação se arrefeça e novos acontecimentos soterrem os antigos, constituem a tática menos aconselhábel para o momento. Porque não haverá um segundo tempo, uma nova chance", diz Requião.

Confira abaixo o manifesto divulgado por Requião (PMDB), contra o próprio PMDB, seu partido, durante anos.

PROCLAMAÇÃO AO PMDB
Mais uma vez circunstâncias da História do Brasil chamam o PMDB a desempenhar o papel de protagonista.
Foi assim quando o velho e aguerrido MDB constituiu-se em oposição ao regime militar, reunindo em torno do partido todas as forças nacionais, populares e democráticas.
Foi assim ao longo dos 21 anos de resistência, até o fim da ditadura, a anistia, a plena restauração das liberdades democráticas e as eleições diretas para a Presidência da República.
Foi assim com a elaboração da Constituição de Ulysses, a Constituição Cidadã de 1988.
Nesses últimos 50 anos fomos o partido que sempre esteve no centro das decisões.
Agora, novamente, é preciso que o PMDB passe à frente e se ponha na liderança em busca de uma saída para o grave impasse que imobiliza e ameaça o nosso país.
Não é a hora de cobranças, de indigitar responsáveis e apontar culpados.
Uma necessidade maior se alevanta: a pátria está em risco; os brasileiro, atordoados por uma sequência de acontecimentos catastróficos, esperam, aguardam, anseiam pela remição desse caos.
E nós, o PMDB, ainda o partido brasileiro com o maior número de representantes nos legislativos e nos executivos, com uma teia de representação que cobre o país todo, nós, o PMDB, podemos ser o partido da restauração da economia, o defensor dos direitos e das garantias sociais, o impulsionador de reformas -essas sim- que tirem de uma vez o Brasil do atraso, da dependência, do subdesenvolvimento e da injustiça. Um Brasil para os nossos e não mais um país para desfrute de alguns poucos e subordinado aos interesses da globalização financeira.
O nosso silêncio, a nossa omissão ou a nossa conivência com o que acontece, na insana esperança de se dar tempo ao tempo para que os dias passem, a indignação se arrefeça e novos acontecimentos soterrem os antigos, constituem a tática menos aconselhável para o momento. Porque não haverá um segundo tempo, uma nova chance.
É agora!
Tomemos a rédea da situação.
Quanto mais o tempo passa, quanto mais a crise política, econômica e moral avance, corroendo todo o organismo nacional, exaurindo-o, debilitando-o, menores as chances de resgatar o Brasil dessa entaladela.
Não há outra saída que não o recurso à decisão popular, com a soberania popular do voto.
Eleições já! Diretas para Presidente. Garantias dos direitos do povo com o Estado social. Constituinte!
A porta da vitória com o povo está aberta para os verdadeiros peemedebistas!