31 março 2022

Enquanto a direita discute, a esquerda popular já tem pré-candidata ao senado e parte na frente.


O imbróglio para a escolha de nomes ao Senado em Pernambuco tem outro capítulo neste último dia permitido para filiações pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) – dia 02 de abril. Enquanto a direita discute, a esquerda popular e ecossocialista em Pernambuco já tem pré-candidata ao Senado que já iniciou o trabalho de visitas e discussões programáticas. 

Eugênia Lima do Psol-PE, ao lado do pré-candidato ao Governo João Arnaldo, é declaradamente o nome do partido, formando a chapa majoritária com o aval do presidente Nacional da sigla, Juliano Medeiros. Juliano que esteve semana passada no Recife frisou que ate agora a única pré-candidatura ao senado de esquerda no Estado é a do Psol e que não há chance de apoiar qualquer outra que corrobore com as velhas práticas oligárquicas empregadas em Pernambuco

“Aproximar a política institucional da luta do povo pernambucano é prioridade para o PSOL nestas eleições de 2022. O diálogo do partido com os movimentos sociais, com a população  e as forças progressistas passa pela construção de um projeto que fará Pernambuco superar o atual ciclo político. Pernambuco hoje está no ranking dos piores índices de violência, desemprego, estradas e saneamento”, frisa Eugênia Lima

Eugênia Lima, presidenta do PSOL Olinda (segundo mandato), tem 38 anos, e vai postular pela segunda vez a vaga. Em 2018, ela em chapa psolista teve cerca de 113 mil votos no estado. Em 2020, Eugênia Lima concorreu à Câmara Municipal de Olinda, sendo a candidata mais votada na Marim dos Caetés. E em 2016 também concorreu à vereança, iniciando sua liderança política na cidade.