25 janeiro 2020

Comerciantes irresponsáveis jogam lixo de suas lojas, à beira do Rio Carimã, em Barreiros.

Lixo sendo jogado num dos lados da ponte de acesso a Rua da Cigana.

A cidade de Barreiros é cercada por dois rios, Rio Una e Rio Carimã. Nosso comércio fica centralizado entre estes mesmos rios, que passam um pelo lado esquerdo e outro pelo lado direito, como se o centro da cidade fosse uma ilha.

Quando acontecem enchentes, por menores que sejam, as vezes as águas invadem as lojas do centro do município, que são diretamente prejudicadas.

Lixo jogado á cabeceira do Rio Carimã, por trás das lojas, à entrada da Rua Álvaro Conrado.
Nossa rede de esgoto, há anos não recebe uma limpeza, facilitando entupimentos que causam transtornos, as vezes com pequenas chuvinhas.


Há que se lembrar que daqui á pouquinho estaremos nos despedindo do verão, nos aproximando de dias chuvosos. O que já nos preocupa por diversos motivos.

Barreiros, é bom que se lembre, fica no entre-eixo dos rios Una e Carimã, de encontro com as marés de Porto de Nassau e São José da Coroa Grande. A cada enchente temos que esperar que os rios deságuem para que baixem por aqui.

Para quem observa o Rio Carimã, que passa pelo lado esquerdo de toda a cidade poderá observar que o mesmo está sendo tomado por uma extensa vegetação, deixando quase apagada a existência das águas que por ali passam.

Vista do Rio Carimã à partir da Ponte da Prainha destino ao Lotes.
Temos ainda, em toda extensão deste mesmo rio uma camada de rede de esgoto despejando dejetos humanos de centenas de residências. O que já leva à outras considerações, que não vou tratar no momento, por referir-se a um tema mais extenso e específico.

Vista do Rio Carimâ, á partir da Ponte dos Lotes
Infelizmente, para completar o descaso com o Carimã, em especial, encontramos a irresponsabilidade de alguns logistas, comerciantes locais, despejando seus lixos à beira do Rio, conforme estas fotos.


Há algum tempo estão sendo despejados resíduos à beira do rio que fica à entrada da Rua Alvaro Conrado, conhecida como Rua da Cigana, aos "pés" daquela ponte de acesso.


Como, por parte da Preitura e dos órgãos competentes não há fiscalização abre-se um leque enorme para o descaso com um rio que já está sendo por demais atingido com a força agressiva da ignorância de muitos.

É preciso que os órgãos ditos competentes tomem providência sobre o que vem há anos acontecendo em nossa cidade, e criem-se leis para que aquele ou aquela que jogarem seus resíduos no Carimã ou no Una, sejam multados. Quam sabe assim, mexendo nos bolsos de alguns irresponsáveis, possam frear descasos como estes. 

Observação: todas as imagens acima foram gentilmente cedidas por internautas ao blog do Ed Soares para esta publicação.