21 novembro 2018

Empresa terceirizada contratada para atuar no Hospital Municipal de Barreiros, expulsa funcionários do quadro de servidores devolvendo-os à Prefeitura, sem motivo algum.

Recentemente a Prefeitura de Barreiros em parceria com a Secretaria de Saúde da cidade contratou uma empresa terceirizada para atuar administrativamente dentro do Hospital Municipal Jaílton Messias. Contratação esta, por sinal, que pouco se soube no município, já que igualmente, quase nada foi divulgado para a população, certamente por que não convinha aos munícipes serem informados. Há cerca de três meses essa empresa que tem por nome CHS - João Paulo II, que é liderada por um agente de origem portuguesa, segundo informações preliminares, de fato começou à "causar" algumas transformações, consideradas positivas. O que de pronto teria agradado o funcionalismo daquele órgão.

Porém, segundo informações mais recentes, essa mesma empresa que tem o aval dos atual gestão municipal está "reformando" praticamente tudo, contrariando, inclusive seus primeiros passos enquanto empresa terceirizada, contratada.

Uma das "reformas" exclusivas que os responsáveis por essa empresa com o consentimento da Secretaria de Saúde e da Prefeitura Municipal de Barreiros está fazendo é cortar funcionários concursados (e antigos) do quadro de servidores do Hospital Municipal, desde enfermeiros, atendentes, motoristas de ambulância, e outros, devolvendo-os para a Prefeitura, para que estes sejam localizados em outros setores, não mais pertencendo ao HMB.


No lugar desses servidores contratados essa empresa terceirizada de nome CHS - João Paulo II estaria contratando outros servidores em que deverão receber salários mínimos, que com os devidos descontos, poderão chegar à cerca de R$ 800,00 (oitocentos reais).

Os funcionários do quadro (concursados) foram acionados por telefone, para estarem presentes na manhã desta quarta-feira, dia 21 de Novembro, na Administração do Hospital Municipal de Barreiros, com o fim de serem todos comunicados de suas dispensas de funcionários do quadro de servidores do HMB, sendo os mesmos devolvidos à Prefeitura para que ela determine depois aonde serão eles localizados.

Cerca de cinquenta funcionários serão devolvidos, ficando para a Prefeitura Municipal e a Secretaria de Saúde a determinação para onde eles serão localizados á partir dos próximos dias.

A empresa terceirizada, CHS - João Paulo II, estaria sob os cuidados em Barreiros, de pessoas ligadas diretamente ao ex-prefeito João Baleia, atual Secretário de Governo do Município, de onde, supostamente recebem todas as ordens e comandos de execução para tudo o que é gerenciado, ficando ao cargo dele, não do Prefeito oficial, as determinações gerenciadas.

Acionados por telefone, os funcionários, sem saber ao certo qual serão seus destinos, deverão comparecer na manhã deste dia 21 de Novembro no Hospital. Segundo informações, após a reunião com o Gerente da empresa terceirizada os funcionários deverão reunir-se com o Sindicato da categoria da Saúde, além de acionarem o Ministério Público de Pernambuco, de maneira que estes órgãos possam tomar algumas providências quanto à essa situação considerada arbitrária no Hospital Municipal de Barreiros.

Ainda, segundo informações há um possível "pendor" para transformar o Hospital Municipal de Barreiros, que atualmente é um setor público, em uma entidade privada e as transformações, ao que parece, já começam por aí.

Até então, todas as informações com relação á essas mudanças no setor público de saúde de Barreiros tem acontecido sob sigilo e pouco se sabe dos manejos que estão fazendo com relação à tudo isso.

Ainda na manhã de ontem, dia 20, alguns funcionários foram enviados para tratar com o Secretário de Administração da Prefeitura Municipal de Barreiros, Cícero Sergio de Lima, mas este não os recebeu, conforme citaram alguns funcionários que disseram-se angustiados com tudo o que está acontecendo nesses últimos dias nos bastidores do Hospital Municipal de Barreiros.

A partir desse dia 21 de Novembro o destino de mais de 50 funcionários que atuavam diretamente no Hospital de Barreiros, estará mais incerto do que nunca. O mais interessante é que não há uma justificativa sequer da mudança de quadro do funcionalismo deste órgão. Os servidores e servidoras mais antigos serão todos, praticamente, expulsos do quadro de funcionários do HMB.

Segundo informes preliminares, os funcionários pedirão explicação em ofício ao gerente da empresa terceirizada do por quê de estarem sendo tratados da forma humilhante, sendo expulsos de seus locais de trabalho e devolvidos á Prefeitura Municipal como se fossem sem valias para as atividades daquele Hospital.