24 outubro 2018

Conselheiro Tutelar eleitor de Bolsonaro? O Estatuto da Criança e do Adolescente deveria ser rasgado por que estimula a vagabundagem e malandragem infantil, disse candidato.

Claro que estamos vendo no Brasil uma leva de pessoas que sequer analisam seus candidatos, aceitando tudo às cegas, não por que querem o bem do país, e nem por que estão estão lutando contra a corrupção. Essas são duas das principais mentiras que dizem aqueles que estão optando pelo candidato do PSL. O voto de suposta revolta deles não é contra uma coisa nem outra, é unicamente contra o PT (Partido dos Trabalhadores).

Com relação à classe de conselheiros tutelares, o que achamos dia e noite são pessoas hipócritas, principalmente aqueles que professam algum tipo de credo religioso. Se estiver mais ligados aos protestantes aí é que parece estar mais despertada a ponta do iceberg do egoísmo e da hipocrisia daqueles que dizem defender os direitos humanos, em especial os direitos da criança e dos adolescentes.

No mesmo período que Jair Bolsonaro fazia críticas contra o Estatuto da Criança e do Adolescentes (ECA) dizendo que o mesmo estimularia a vagabundagem e a malandragem infantil ele ensina duas crianças à fazer gesto de uso de arma de fogo, um de seus sinas prediletos, que tanto tem encantado quem lhe segue.
Conselheiros Tutelar apoiam, fazem campanha e votam no candidato que é contra eles.

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro , atacou duramente o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Disse que o documento deveria ser rasgado porque, na sua opinião, estimula a "vagabundagem e a malandragem infantil".



Aqui em Barreiros, cidade interiorana de Pernambuco, basta observar as redes sociais e vamos encontrar os Conselheiros Tutelares indo totalmente contrários à profissão que eles abraçaram, quando ousaram concorrer aos cargos em eleição passada em defesa de crianças e adolescentes. Esses mesmos tenderão à continuar no cargo na eleição do ano que vem.

Será que na opinião deles o Estatuto da Criança e do Adolescente essa lei deveria ser rasgada, como o candidato deles afirma? Por que e por qual motivo? Por que os conselheiros fecharam e estão fechando os olhos para falas de seu candidato que vai de encontro ao ECA, que supostamente, é defendido por eles? Que tipo de cegueira é essa?

Mas, claro, não é só em Barreiros que vamos encontrar discrepâncias como estas. Outras cidades há que também tem conselheiros que parece não aprovar sua profissão e opta em votar, apoiar, fazer campanha, para Jair Bolsonaro, tendo ele como arma de guerra contra suas carreiras.

Se há um candidato que é contra o ECA e que acredita que esse documento deve ser rasgado, o que eles estão fazendo nesses cargos então?

Se esse mesmo estatuto promove a vagabundagem e a malandragem infantil, conforme disse Bolsonaro, o que esses conselheiros estão fazendo então? Eles estão promovendo, com seus trabalhos essas crianças à essas condições e portanto Bolsonaro está certo? Sim, por que esse é o motivo principal

É lamentável encontrar pessoas que terminam por confirmar que desconhece o ECA ou que fecha os olhos para certos absurdos como dessa fala de Bolsonaro.

Abaixo trouxe dois vídeos tratando sobre esse assunto para uma melhor análise e conclusão.




Nesse outro vídeo, há do mesmo autor, uma outra observação dele que merece ser assistida pelos Conselheiros Tutelar que defendem Bolsonaro.



Resta só perguntar: ser conselheiro tutelar é estar preparado para defender crianças e adolescentes, mas como é então que eles estão defendendo um candidato que diz que o ECA documento que eles devem ter pleno conhecimento, tido como uma das melhores propostas que o Brasil já teve, exemplo para todos os outros países, que inclusive estão trabalhando para implementá-los, deveria ser rasgado por que, segundo Bolsonaro, ele promove vagabundos (palavra fácil na boca do candidato para seus desafetos) e malandragem infantil?

Ao defender Bolsonaro, ante essas acusações dele, os Conselheiros Tutelares não estariam dizendo, em outras palavras que eles são os promotores de crianças e adolescentes vagabundos e malandros?

Afinal de contas, de qual lado os Conselhos Tutelares estão? Do seu trabalho e do trabalho com as crianças e adolescentes que eles deveriam defender ou de Bolsonaro que acusa-os maliciosamente?