25 outubro 2014

Dilma Rousseff aparece em primeiro lugar garantindo uma reeleição, segundo IBOPE.

Pesquisa do Ibope divulgada neste sábado (25), véspera do segundo turno das eleições, mostra que a presidente Dilma Rousseff (PT) seria reeleita ao derrotar o senador Aécio Neves (PSDB). Já o Datafolha, que também divulgou pesquisa hoje, aponta uma indefinição já que os dois aparecem empatados tecnicamente no limite da margem de erro com a petista numericamente à frente.

Ibope

Passe o mouse nas datas e veja mais detalhes

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

  • Dilma Rousseff

  • Aécio Neves

53%
47%
Votos válidos - 25/10/2014
15 OUT
2014
23 OUT
2014
25 OUT
2014
0%5%10%15%20%25%30%35%40%45%50%55%60%
53%
47%
Considerando os votos válidos, Dilma está com 53% das intenções de voto contra 47% de Aécio, de acordo com o Ibope. Já segundo o Datafolha, a petista está com 52%, e o tucano, 48%. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos nas duas pesquisas.
Na pesquisa Ibope divulgada na quinta-feira (23), a petista aparecia com 54% dos votos válidos contra 46% de Aécio. O Datafolha mostravaDilma com 53% e o tucano com 47%.

Votos totais

Levando em conta os votos totais, que incluem eleitores dispostos a votar em branco, anular e os indecisos Dilma obteve 49%, e Aécio, 43%, no Ibope divulgado hoje; 3% declararam-se indecisos e outros 5% pretendem votar em branco ou anular.
No Datafolha, a petista alcançou 47% das intenções contra 43% do tucano. Há 5% de eleitores indecisos e 5% que pretendem anular ou votar em branco.
O Ibope entrevistou 3.010 eleitores em 206 municípios entre ontem (24) e hoje (25). A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal "O Estado de S. Paulo". O número do registro é BR-01195/2014.
O Datafolha ouviu 19.956, entre ontem (24) e hoje (25), em 400 municípios. Contratada pela "Folha de S. Paulo" e pela TV Globo, a pesquisa foi registrada sob o número BR-01210/2014.
Parte das entrevistas das duas pesquisas foram feitas após o debate da TV Globo, ocorrido ontem (24) à noite. Os levantamentos captam o impacto das reportagens com a denúncia do doleiro Alberto Youssef de que Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinham conhecimento dos desvios na Petrobras.

Datafolha

Passe o mouse nas datas e veja mais detalhes

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

  • Dilma Rousseff

  • Aécio Neves

52%
48%
Votos válidos - 25/10/2014
22 OUT
2014
23 OUT
2014
25 OUT
2014
0%5%10%15%20%25%30%35%40%45%50%55%60%
52%
48%

Rejeição e avaliação de Dilma

A pesquisa de hoje Datafolha mostra que a rejeição de Aécio igual a do levantamento de quinta-feira (23). Ao todo, 41% dos entrevistados disseram que não votam no tucano de jeito nenhum. A rejeição de Dilma oscilou um ponto percentual, de 37% para 38%.
Segundo a pesquisa Ibope divulgada hoje, a avaliação do governo Dilma permanece estável: 45% consideram ótimo ou bom; 30% regular; e 23% ruim ou péssimo.

Último dia de campanha

No último dia de campanha, Dilma participou de uma carreata em Porto Alegre, ao lado do governador e candidato à reeleição, Tarso Genro (PT). Em entrevista coletiva, a candidata chamou de golpistas as manifestações a favor de um eventual impeachment caso se comprovem que ela tinha conhecimento do esquema de desvios na Petrobras.
A denúncia teria sido feita pelo doleiro Alberto Youssef a investigadores durante delação premiada. Uma petição online anuncia ter coletado mais de 650 mil assinaturas pedindo o impeachment dela.
"Eu quero aqui manifestar meu repúdio a esse tipo de processo que é um processo golpístico [sic], que não se coaduna com uma situação democrática. Eu quero dizer aqui que eu tenho uma vida inteira que demonstra o meu repúdio à corrupção. Eu não compactuo com a corrupção e quero que provem que eu compactuei com a corrupção", afirmou.
Já Aécio está em São João Del Rey (MG), cidade natal dele e do avô Tancredo Neves. Em entrevista coletiva, Aécio disse que o ataque feito à sede da editora Abril, que edita a revista "Veja", na zona oeste de São Paulo, atenta contra a democracia.
A ação ocorreu depois que a revista divulgou reportagem em que o doleiro Alberto Youssef, preso durante a operação Lava Jato, teria afirmado em depoimento prestado à à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal que tanto Dilma quanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sabiam do esquema de desvio de recursos públicos da Petrobras para abastecer caixas de campanha de partidos da base aliada.
"Os acontecimentos de ontem e hoje são um atentado contra a democracia e contra a liberdade de expressão, o que, aliás, é uma marca dos nossos adversários", disse.

Fonte UOL POLITICA