30 outubro 2017

A desinformação corre mais rápido do que a verdadeira informação.

Em minha última postagem eu disse que Noticias falsas são compartilhadas como verdadeiras nas redes sociais por quem é preguiçoso e não consulta as fontes das "informações". Fiz menção à um dos casos em que o Deputado Jean Willys, do PSol, teve uma noticia falsa contra ele, espalhada por um pastor, tido como uma pessoa de confiança. Depois que o pastor postou, a mentira foi compartilhada por diversos seguidores e leitores dele em diversas redes sociais.

Lamentável que cerca de 90% dos usuários das redes sociais NUNCA checam se as "notícias" postadas são verdadeiras ou se são falsas e "danam-se" à espalhar conteúdos duvidosos em grupos de bate-papos no Facebook, Whatsapp, Instagram e todas as demais...

No mês passado o jornal O GLOBO trouxe uma nota, com a seguinte citação "greve da Polícia Militar do Rio, greve da Cedae, cobrança de anuidade para quem tem carteira de habilitação. Difícil não ter esbarrado com pelo menos um desses boatos nos últimos dias. Antes conhecidas como hoaxes, as informações falsas disseminadas na internet, que têm se intensificado com o aumento da utilização de mídias sociais e aplicativos de celular, já ganharam até nome pomposo: PÓS-VERDADES". (confira aqui)

O problema é que tais boatos disseminados conta com pessoas que são de "confiança". Padres, Pastores, Líderes Religiosos, Políticos, etc, são os espalhadores de inverdades, em sua grande maioria das vezes. Porém, não são todos! E para aquele seguidor, principalmente os ditos fiés igrejeiros, por mais que a verdade nua e crua seja apresentada, não importa, o que importa é o que fulano, seu líder, disse, por que, "eles são homens de Deus, inspirados pelo espírito santo". Bate-se o martelo! 

Educadores, (não todos, claro) também estão na lista dos espalhadores de inverdades.

Mentiras espalhadas como KIT GAY e IDEOLOGIA DE GÊNERO, são apenas algumas tidas como verdade por que pastores como Silas Malafaia, Marco Feliciano, demais outros como Bolsonaro, por exemplo, falou, é verdade, ainda que não seja.

As pessoas são acomodadas demais, aceitam as coisas às cegas, não examinam, não consultam, não estudam...

Que as redes sociais é democrática, disso não temos a menor dúvida. Qualquer pessoa em qualquer parte do planeta, usando um computador, notebook, smartphone, Tablet, etc, podem opinar, á seu modo sobre qualquer assunto. Até analfabetos. Mas será que todos são aptos para opinar?

Se você perguntar o que é ou o que significa Escola Sem Homofobia, ou se alguém leu, certamente vai encontrar dois ou três que dizem que já ouviu falar, mas não leu nada ainda sobre o assunto.

Se você insistir e quiser saber o que é gênero, identidade ou estudo sobre, diversos dirão que não sabem o que é, embora, já tenham lido tudo contrário sobre o mesmo tema.

Para os que estão à frente de certos cargos, principalmente políticos, não é interessante que o povo instrua-se, que fiquem sabendo da verdade nua e crua. Um povo consciente é um povo perigoso!  

“Quanto mais instruído o povo, tanto mais difícil de o governar…” Provérbio 

Taoista

Continua...