30 janeiro 2020

A novela em reprise de Marília Arraes com o PT de Humberto Costa, em Pernambuco.

Em todos os partidos há regras. Isso é fato. E cada legenda segue determinados trâmites que aos olhos da lei eleitoral devem ser seguidos. Disso certamente todos os filiados e dirigentes partidários estão mais do que cientes. E, claro, nem sempre a estrela do partido X tem poder de mobilização completa para as demais lideranças. Mas, não é o caso de debater sobre quem manda ou deixa de mandar, agora.

O fato é que em Pernambuco, Marilia Arraes, que já fez parte da bancada do PSB nos tempos de Eduardo Campos, seu primo, conseguiu estrelato, mas ficou sem "imagem" naquela legenda. Em fevereiro de 2016, depois de a então vereadora abandonar o partido socialista, entra de cabeça no PT de Lula, que a recebeu de braços abertos.

Conseguindo certo protagonismo a mesma é apresentada por Humberto Costa, senador petista, como uma forte liderança que poderia alçar vôos dentro da legenda, no estado pernambucano. E, naquele mesmo ano já se falava em promovê-la ao cargo de Prefeita ou Governadora pelo PT. O maketing funcionou ao ponto de uma forte bancada petista correr os quatro cantos do estado levantando o nome dela.

No entanto, chegada as eleições de 2018, em pleno acordo entre Humberto Costa e o Governo do Estado, visando interesses mais do que pessoais (reeleição ao cargo de senador) o petista "rifou a cabeça" de Marília, fechando mais pacto com o PSB em que de protagoninsta principal o PT ficou às sombras do partido de Paulo Câmara.

Para Marilia não restou alternativa à não ser pedir à Lula que abonasse sua candidatura. O que foi concedido por ele, mas que em Pernambuco foi bloqueado por Humberto Costa, atendendo aos planos dele e seu grupo em detrimento da legenda petista.

A neta de Arraes então deixou de ser candidata à governadora. No entanto, candidatando-se como Deputada Federal conseguiu ser a segunda mais votada ao cargo em nosso estado, ficando atrás apenas de seu primo, João Campos, do PSB.


Agora, para as eleições municipais, quando a mesma poderia mais uma vez ser a estrela do PT, tendo sido abaçada pelo ex-presidente Lula, Humberto (ele de novo) frustra os planos da neta de Arraes, relegando-a ao esquecimento. Marília, terá que se contentar com seu cargo de Deputada Federal petista e esquercer por agora, ainda, qualquer ideia de ser protagonista dentro PT pernambucano.

Em 2018, com Lula na prisão, foi feita uma manobra desobedecendo o pedido da estrela maior do partido. Humberto Costa não deu ouvidos ao pedido do ex-presidente e desautorizou a candidatura de Marília Arraes.

Mesmo agora, com Lula solto, com pedido dele para que Marilia seja candidata pelo PT ao cargo de Prefeita da cidade do Recife, mais uma vez um Humberto adia os planos, bate o pé e diz que aqui em Pernambuco, quem manda na legenda petista é ele.

Essa novela de Marilia X Humberto, já vimos acontecer. Estamos, à bem da verdade prestes á assistir uma reprise. O que é lamentável!