06 agosto 2018

Votos de Marília não serão transferidos para Paulo Câmara, em Pernambuco

Talvez Humberto Costa e seu grupo, hoje mais pequeno do que nunca, depois de tirar Marília Arraes da corrida ao cargo de governo de Pernambuco (com o que eu chamo de golpe do PT contra o PT), acreditassem que depois de fazerem a espúria aliança os votos dos petistas e esquerdistas de nosso estado fossem transferidos para o PSB de maneira quase automática. Certamente esperavam que os petistas daqui seguissem a "carruagem" pela decisão da nacional.

A realidade no entanto, é bem outra, muito diferente do que eles pensavam. Os petistas e esquerdistas pernambucanos, que esperavam e ainda lutam por melhorias em nosso estado não aceitam e não votam em quaisquer lideranças do PSB Pernambucano.

Lógico que não estou falando de todos, afinal de contas, uma pequena parcela, os traidores petistas e alguns poucos da esquerda estadual, estão cheirando o saco de Paulo Câmara, em busca de acertos para instalarem-se na possível continuação do governo socialista.

Marília Arraes, candidata à Deputada Federal pelo PT de Pernambuco.
Aqueles e aquelas, no entanto, que são verdadeiros e verdadeiras em suas intenções, que viram o desastre que tem sido o governo de Paulo Câmara em Pernambuco, e que tem se indignado com o posicionamento da nacional, não tem qualquer simpatia pela aliança do PT com o PSB que foi feita sem consulta dos petistas de nosso estado. Estes dizem, peremptoriamente que não há chance alguma de votar na legenda golpista.

Desde o ano passado que se falava da possível chapa, hoje confirmada, do PT com o PSB. E, igualmente, desde 2017 que já se dizia que se isso viesse á acontecer (e aconteceu) quem é petista ou esquerdista de verdade não votaria e nem se associaria com a legenda socialista.

O PSB nacional e estadual massacrou e ajudou à massacrar o PT e ainda acusaram a legenda petista de terem matado Eduardo Campos, quando este faleceu, em 2014, em acidente de avião. Eles não apenas chamaram os petistas de assassinos, como também, ajudaram à derrubar a presidente eleita, Dilma Rousseff, no golpe de 2016, conforme é público, nacional e internacionalmente.

No entanto, apesar dos pesares, Marília tem se fortalecido com esses reveses contra ela. E aqueles que esperavam-na candidata à Governadora, hoje estão elevando a condição da atual vereadora para o cargo de Deputada Federal, o que não era esperado, certamente por traidores do PT, como Gleisi e Humberto Costa.

Em candidatando-se ao cargo, não há menor sombra de dúvidas que a mesma será eleita com uma expressiva e maciça conta de votos daqueles que acreditam e tem acreditado em sua postura.

Marília abandonou o PSB de Pernambuco pelo PT, e o PT de Pernambuco traiu-a assim como traiu o sonho de muitos que passaram à ter esperança em nosso estado na legenda petista.

Como estamos no meio do caminho e não há mais possibilidade dela de sair do PT, filiar-se noutro partido e candidatar-se ao cargo almejado, a alternativa por agora é a candidatura ao cargo de Deputada Federal. Cargo esse que mudará os rumos dela e da base que à apoia, mostrando para muitos de seus traidores que seu fortalecimento em nosso estado tem continuado e que não é com um golpe que a derrubarão.

Já Paulo Câmara, que esperava que os votos dos petistas e dos esquerdistas fossem todos para ele, em sua espúria candidatura à reeleição e essa aliança, terá de buscar eleitores em outros canais. Vem das redes sociais o sentimento de revolta e a certeza de que não haverá quaisquer movimentações à seu favor. Ha ainda riscos de desfiliação de filiados petistas, da legenda, por terem se sentido traídos com a aliança da nacional, e em particular, da estadual.

A maior certeza é que Marília sai fortalecida dessa guerra interna, candidatando-se para Deputada Federal. Há ainda possibilidade de que nas eleições municipais ela venha à candidatar-se ao cargo de Prefeita da cidade do Recife em 2020. Uma possibilidade que mexe com todas as bases tando do PT de Pernambuco, quanto do PSB.

Mas, definitivamente, a certeza maior é que o PSB de Pernambuco embora tenha a pequena bancada do PT no meio de suas pernas, cheirando seu saco e lambendo suas bolas, os votos da maioria dos petista e dos esquerdista não serão transferidos para Paulo Câmara. Isso não quer dizer que os mesmos seguirão para Armando Monteiro Neto, ou quaisquer outros. 

Essa é, porém, uma outra questão para outro momento, que não convém por hora.