15 março 2018

Nota do Presidente Estadual do Partido dos Trabalhadores sobre a saída de João Paulo do PT de Pernambuco

Ventilado como possível vice ou candidato ao Senado na chapa do governador Paulo Câmara (PSB), o ex-prefeito do Recife João Paulo pediu afastamento do PT. Em carta entregue ao partido na última terça-feira, o petista, segundo o presidente estadual da sigla, Bruno Ribeiro, alegou motivos de ordem pessoal sem dar maiores detalhes. Mas, nos bastidores, comenta-se que o ex-gestor estaria incomodado com ruídos internos e acusações de que ele articularia aliança com o PSB enquanto parte do partido deseja candidatura própria.

O desgaste político que João Paulo vem sofrendo deve-se em parte à sua possível falta de pulso e posicionamento não decidindo-se de verdade ante o cenário em que o mesmo é visto como traidor do Partido dos Trabalhadores, aliando-se ao grupo do PSB de Pernambuco, conhecido como uma das principais siglas contrárias á Lula, e todo o grupo do PT à nível estadual e nacional.

O afastamento de João Paulo, neste momento, "coincide" com a condenação do petista no caso da contratação da empresa Fundação de Empreendimentos Científicos em Tecnologia (Finatec). 

A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) manteve, na última quarta-feira, a condenação do ex-prefeito do Recife João Paulo (PT) que determina a perda dos direitos políticos, o que tornaria o ex-prefeito inelegível nas eleições de outubro deste ano. 

De acordo com o TJPE, foi mantida a pena de três anos e seis meses de detenção substituída por duas penas restritivas de direitos a serem designadas pelos Juízo da Vara de Execução de Penas Alternativas, além de multas nos valores de R$ 120.223,46, para o ex-prefeito e Lygia Maria Veras Falcão, cada; e de R$ 71.647,46 para José Hermes de Araújo Filho.

Em clima de tensão gerado internamente no PT após o pedido de afastamento do ex-prefeito João Paulo (PT), o presidente estadual, Bruno Ribeiro, se pronunciou, por meio de nota, na tarde desta quinta-feira (15), tentando apaziguar os ânimos dos correligionários. 

No texto, o dirigente faz um afago a João Paulo e afirma que convidou o ex-prefeito para uma reunião, ainda sem data definida, "para conhecer os seus motivos e tentar superar o impasse".



NOTA DA PRESIDÊNCIA DO PT-PE

A respeito das notícias sobre a iniciativa do companheiro João Paulo, informo:

1 – Na terça-feira, dia 13, ele procurou a Presidência e formalizou carta em que comunicou (1) o seu afastamento por tempo indeterminado do partido, invocando motivos de ordem pessoal e (2) que continuaria se dedicando à defesa de Lula, da sua candidatura e da democracia. 

2 – Imediatamente, informei à Executiva Estadual do PT-PE, que realizou uma reunião ordinária já agendada para aquela manhã. Todos(as) ficaram, como natural, bastante preocupados com a notícia e, por unanimidade, posicionaram a necessidade de um diálogo daquela instância partidária com João Paulo, para conhecer os seus motivos e tentar superar o impasse. Informei ao próprio João Paulo e o convidei para essa reunião, com o que ele concordou, mas ainda não agendamos a data. 

3 – Primeiro presidente da CUT-PE, um dos fundadores do PT em Pernambuco, ex- prefeito do Recife por duas vezes, parlamentar em vários mandatos, a militância de João Paulo é uma referência para o PT e para a esquerda pernambucana. Como pessoa, ele é bastante respeitado e estimado por todos (as) em nosso Partido.

4 – A democracia, o povo brasileiro e Lula, que é a liderança que representa os seus valores e aspirações, estão sofrendo ameaças que se agravam a cada dia. Precisamos estar unidos para vencer essas adversidades e João Paulo é muito importante nessa luta. 

Por isso, a direção e a presidência do PT-PE atuarão com determinação e firmeza para superar essa dificuldade no mais breve tempo possível.

Recife, 15 de março de 2018.

BRUNO RIBEIRO
Presidente Estadual do PT