04 fevereiro 2018

A Globo e a campanha do futuro do Brasil que ela não quer vê.


A Rede Globo de Televisão, uma das mais potentes emissoras de nosso país lançou recentemente uma campanha que leva o título de “que Brasil você quer para o futuro” uma “retomada” de um programa executado nos Estados Unidos. 

A Globo, que já trouxe outras ideias de outros países como o BBB ou o formato do Programa do Jô, por exemplo, acreditou que em plena era da informatização e das redes sociais as pessoas iriam se deixar levar por sua propaganda, como noutros tempos.

Claro que a mesma esperava que o cidadão comum, supostamente abestalhado, iria pegar o celular, ir para um local bonito nas mais de cinco mil cidades, gravar uma mensagem de apenas 15 segundos e falar neste curto espaço de tempo, como se fosse uma campanha de tv partidária de Bolsonaro ou Eneas, por exemplo.

Pegando o ápice da ideia centenas de brasileiros tem feito quase o que fora pedido, só que de forma contrária, que tem desgostado os apresentadores dos principais telejornais global.

Internautas de diversos cantos do país estão gravando mais do que meros 15 segundos e enviado uma mensagem quase que geral para o canal televisivo.

Muitos, em suas mensagens, perguntam: O que a Globo está fazendo pelo futuro de meu país?

Com tal mensagem, que soa como campanha contrária os responsáveis pelos principais telejornais não publicam os vídeos encaminhados para a emissora. Estes, porém, vão parar nas redes sociais, como youtube, Facebook, etc... 

Cientes de que as mensagens, muitas vezes de revolta contrária ao que foi pedido pela Globo, faz com que o tiro do canal saia pela culatra, conforme pode ser observado neste vídeo abaixo postado no Youtube a emissora tem rejeitado os envios de internautas que fazem apelos mostrando as realidades de suas cidades.



Nada errado, sob o ponto de vista do cidadão comum que já está saturado, desde anos, com a mensagem ditatorial que a Rede Globo de Televisão passa à partir da telinha. Com o advento da internet as pessoas começam à entender, e com isto a emissora não contava, que tem vez e voz, à partir de seus celulares, podendo gravar suas revoltas e espalhar para o mundo inteiro suas falas à partir de suas casas, usando principalmente as redes sociais como principal canal.

É interessante observar que a ideia não foi de todo ruim, só o final da mesma é que parece ter virado contra a emissora, como fala aquele velho ditado de que “o feitiço virou contra o feiticeiro”.

E aí, Rede Globo, o que vocês estão fazendo pelo futuro do país? Qual o Brasil que vocês querem? Estão dispostos à despir suas máscaras e pular para o lado do povo?