06 maio 2015

Dos 32 partidos políticos em nosso país, qual deles representa os interesses da maioria?

32 partidos em nosso país. Será preciso tantos? No fundo o que eles fazem?
Em nosso país, temos atualmente 32 partidos políticos. Cada um com suas marcas e "lideranças políticas" à partir de cidades, estados e suas influencias à nível nacional.

Pelo menos à cada dois anos somos "apresentados" à estes partidos, cada um deles com propostas as mais mirabolantes possíveis. Na propaganda eleitoral, no marketing, é uma coisa. No entanto, na realidade são eles, os partidos, representantes dos anseios do povo, ou dos interesses mesquinhos de seus filiados?

Se você procurar conhecer a doutrina de cada partido verá verdadeiras bandeiras que no papel dá anseio ao patriotismo. Na leitura pura e simples qualquer um que tenha amor à sua cidade, estado e/ou país, quer fazer parte legitimamente daquela sigla partidária.

Mas, vamos e convenhamos, e na prática? Será que os partidos cumprem parte do que prometem?

E quanto ás lideranças que recebem votos para vereadores, prefeitos, deputados, senadores e presidentes? Eles são dignos das doutrinas dos partidos que dizem seguir?

Parece até que estou flutuando em utopias, me baseando em doutrinas partidárias como base para seus filiados. Talvez até eu possa ser considerado ideológico demais. No entanto, a grande realidade, gente é que nem os partidos são no fundo o que dizem ser, tão pouco seus filiados e/ou lideranças.

Principalmente nos dias de hoje com 32 partidos e uma enormidade de filiados arvorados ao poder tendo como pano de fundo o ganho fácil à base de meras promessas políticas. Verdadeiros engôdos partidários! Nenhum deles representam os interesses da maioria. Muito pelo contrário!

Já falei aqui e volto à repetir que "meu partido não me representa!" e tal assertiva não diz respeito à um partido com a marca X. Muito pelo contrário! Todos eles, com suas lideranças, cada qual segue para um lado, cujos interesses de fato estão em detrimento aos anseios do povo, que são no voto, os responsáveis pelas lideranças que estão á frente de certos cargos.

Não tem como se iludir!

E a prova disso é que encontramos determinados "líderes" saindo de um para outro partido, não por querer trabalhar "pelo bem do povo" e sim, por não terem mais espaço em seus agrupamentos, não tendo como ganhar o que tencionavam, partem para uma outra bandeira buscando facilidades para seus bolsos, cujos projetos podem ser considerados verdadeiras zombarias para com o povo brasileiro.

Em todos os lugares encontraremos este ou aquele agrupamento pensando não apenas em si, como ainda, na forma de conseguir passar 4 anos, se for em escala municipal, ou 6 anos, como são os casos dos senadores, tendo poupudas somas mensais em seus bolsos oriundos dos impostos pagos pelo cidadão comum.

Estamos generalizando? Mais ou menos isso mesmo! Embora posso reconhecer que existem pessoas que gostariam de exercer a boa política de maneira sensata, pensando no bem coletivo. Estes, no entanto, são em pequeníssimo número, que nem sempre consegue espaço e tão logo sejam identificadas suas boas intenções pelos grandões dos partidos, tratam-lhe de arruinar seus intentos conseguindo expulsá-los ou quem sabe, conseguem um escândalo de maneira a envergonhar quem tenha noção de moral, fazendo com que estes, "naturalmente", saiam do cenário politico e social.

Infelizmente, ainda não consigo encontrar honra naqueles que compõem, aos milhões, as diversas fileiras dos 32 partidos políticos atuais, em nosso Brasil Varonil!