08 novembro 2018

Haddad e Manuela pedem ajuda para cobrir despesas de campanha. Qual o problema? Há desonestidade em pedir ajuda ou em colaborar com eles?

Felizmente os tempos são outros e a mídia, e até mesmo as redes sociais, mesmo sem o querer, terminam por ajudar aqueles que são mais criticados e apontados como possíveis corruptos da história de nosso país. E, essa mesma mídia junto com as mesmas redes sociais igualmente auxiliam à mostrar quem de fato são os grandes vilões.

Ora, há alguma desonestidade em se pedir dinheiro, publicamente para cobrir despesas desse ou daquele projeto, mesmo que tal projeto seja político? Você só me dirá que há, se for, de fato, muito cara de pau e goste de fazer piadas com coisa muito séria, desnecessariamente.

As eleições terminaram, graças á Deus, e como resultado, tivemos um candidato eleito, com a ajuda financeira de grandes empresas e mega empresários de diversos setores, inserindo milhões de reais em sua campanha, sendo aquela, além de milionária, uma das mais farsantes de toda a história das eleições brasileiras. Foi assim, e com outros "produtos" que Jair Messias Bolsonaro, apontado em esquema fraudulento de caixa dois, ainda não investigado, embora com diversos indícios, ganhou a eleição mais Fake que já pudemos presenciar. Porém, com um STF acovardado, tudo ainda está sob panos frios, e certamente nunca será desenrolado o processo, podendo o mesmo ir para a lata de lixo, sem culpar à quem de fato deve ser culpado.

Os seguidores de Bolsonaro, mesmo tendo à frente todas as suas provas, ainda assim, fingem que não viram, não aceitando a verdade nua e crua, acreditando existir honestidade aonde a corrupção reina desde dos possíveis primeiros passos de Jair Messias ao lado de Paulo Maluf, preso por esquema de Caixa Dois e Lavagem de Dinheiro. O professor, pelo jeito, treinou muito bem seu atento aluno, que militou no mesmo partido durante 17 anos de carreira política.

Ao final da campanha, Bolsonaro ainda diz "fazer caridade" com sobra de dinheiro da campanha querendo repassar o restinho para um hospital, justamente aquele que lhe fez a cirurgia ainda suspeita de possível facada em crime de campanha.

No outro lado da mesma linha política encontramos Fernando Haddad, professor universitário e ex-prefeito de São Paulo, ex-candidato ao cargo de presidente pelo Partido dos Trabalhadores que teve uma boa arrecadação à partir de doações comprovadas de eleitores e gente que acreditavam em sua campanha, mas que não conseguiu arrecadar o suficiente para pagar o resto das despesas em período eleitoral.

Sinal de que, no grupo ligado ao PT não tinha nenhum esquema de campanha ligado à caixa dois.

Quando as pessoas deviam ficar felizes ou até mesmo decepcionadas por encontra tal esquema ligado ao grupo do PSL e não ao grupo do PT, vemos, nas redes sociais uma intensa troca de valores. Oa invés desapontarem o dedo para o capitão reformado, por suspeita de caixa dois, ele apontam, erroneamente os mesmos dedos para Fernando Haddad que não teve, declarada e claramente, nenhum indício de erro ou de "pecado".

O PT veio à público de maneira honrada pedir ajuda àqueles que quiserem contribuir para quitar débitos que restaram e ainda restam, tendo como foco aqueles que, assim como eu, não faz questão de tirar o valor que puder dispor, para ajudar uma causa à qual acreditamos.

Ora, mas qual o erro ou o pecado em se pedir ajuda? Ha erros também em querer ajudar? Afinal de contas, não é uma ação nossa ajudar nossos partidos, aqueles à cuja causa achamos ser interessante para toda uma sociedade?

O que achamos mais estranhos ainda é que aqueles que agora estão apontando o dedo para Haddad e Manuela por que estes estão pedindo ajuda são os mesmos que nem mesmo para a campanha de seu candidato disponibilizaram dez centavos como contribuição. Antes, à bem da verdade, viram que empresas ligadas aos partidos do atual presidente eleito, fizeram gordas doações, de maneira criminosa, mas fecham os olhos para esses mesmos crimes eleitorais, sem contestar, acreditando apenas no que os que estão à frente daqueles partidos dizem, como se apenas eles estivessem com a verdade.

Voltando à Fernando Haddad e Manuela D'Avilla, no final da tarde deste dia 08 de novembro, eles já anunciaram estar com mais de um milhão e meio de reais. Sinal de que em breve baterão a meta, honrada e orgulhosamente, provando que o jogo deles é limpo, ao contrário das acusações escandalosamente falsas e sem nexo que lhe fazem constantemente.

Agora, o Partido dos Trabalhadores, junto com Fernando Haddad e Manuela D’Ávila, irão atuar com firmeza na oposição ao governo de Jair Bolsonaro, defendendo os interesses do povo, sobretudo da população mais pobre que será a mais afetada com os retrocessos prometidos pelo candidato do PSL.

Entre no site www.haddadpresidente.com.br/doe e colabore.