19 setembro 2018

Para seguidores de Bolsonaro, áudio atribuído à ele, seria Fake, mas, não provaram até agora que não é ele falando.


Depois do áudio que está rolando nos grupos do Facebook e Whatsapp em que consta uma fala atribuída a Jair Messias Bolsonaro revoltado com o desenrolar das eleições nessas ultimas semanas, e também após sua publicação em blogs, sites e portais na internet seus seguidores tem usado a mesma fala em quase todo lugar dizendo que "isso é fake", ou que "é alguém imitando a voz dele". Fecham a questão e dizem que é falso, e pronto. Mas, seria mesmo uma imitação ou o áudio é verdadeiro mas estão procurando desviar a atenção para desacreditar quem está divulgando ou quem divulgou?

Sabemos bem que há várias situações em que imita-se a voz de alguém com bastante semelhança, como já fizeram com o Padre Marcelo Rossi, com Lula, e até mesmo com outras personalidades. Silvio Santos é o apresentador que mais imitam sua voz.

A internet está repleta de imitadores e muitos já pagaram na justiça por produzirem tais conteúdos usando a voz de alguém com o fim de difamar outros em redes sociais. Mas, vamos com calma. Será que o caso de Bolsonaro seria igual aos demais? O que pode indicar que esse áudio é ou não original? E quem pode afirmar com certeza que ele é falso?

Algumas afirmativas de seus seguidores dão conta de que ele estava internado numa UTI e não haveria condições dele gravar tal áudio. Mas o fato é que não foi o candidato quem gravou o acontecido. Alguém é que gravou a conversa, estando, possivelmente por trás de uma porta ou de uma parece à certa distância. Por isso que o áudio é tão baixo, quase audível.

Dizem que havia dificuldade para gravar essa mídia por que ele esta hospitalizado. Ora, no dia seguinte à seu atentado, estando ele numa Unidade de Terapia Intensiva, o pastor Magno Malta (que espalhou algumas Fake News em suas redes sociais, confira aqui) estava, com mais alguns, cercando o leito do candidato, na mesma UTI, aonde gravaram em vídeo até uma oração para o moribundo.

Poucos dias depois, o também Pastor Silas Malafaia, o visitou nessa mesma UTI

Conforme vídeos espalhados na internet, e em especial nas contas dos pastores acima citados, em suas redes sociais.

Roger, cantor da banda Ultrage a Rigor, também fez visita ao paciente em seu quarto de hospital.


O que mostra que aquela unidade hospitalar é visitada, não tendo o enfermo privacidade, conforme agora tentam fazer acreditar. O que impediria de um áudio ser gravado nessa mesma Unidade, por alguém de fora do quarto aonde estava o paciente?



Falam que o áudio em questão não poderia ser ele por que a fala dele estava "estranha". Vamos para um simples questionamento: se o áudio estava sendo gravada, por exemplo, por trás da porta ou de uma parede, teria como a mesma ser cem por cento audível? Obviamente que não! E a qualidade da mídia em questão está bem baixinha, o que indica que havia uma certa distância ou dificuldade para gravar, mesmo o candidato falando aos gritos, como consta na gravação.

Seus seguidores dizem que era um bom imitador. Então esse "imitador" estava gravando várias vozes ao mesmo tempo ao ponto de ouvir-se falas de Eduardo Bolsonaro, filho do candidato, pedindo-lhe para que se acalmasse ao mesmo tempo que o candidato respondia!?

Esse cara, que "imita várias vozes simultaneamente" é um verdadeiro fenômeno, sem igual, e merece ser descoberto para shows em todos os lugares do mundo. Mas, se tal imitador não existir?

Falam que é Fake por que Eduardo Bolsonaro disse que era fake. Ou ainda, dizem que a assessoria dele teria "desmentido" o áudio. Pronto. Tudo resolvido. Ora, será que o filho dele e seus assessores iriam admitir publicamente que tal áudio aconteceu, sabendo que tais declarações são cem por cento negativas para o candidato?

No áudio em questão uma das pessoas, apontadas como Eduardo, pede para que o pai fale baixo ou que se acalme, o que de imediato é rispidamente respondido pelo candidato de que não se calaria, soltando palavrões, bem ao estilo do capitão em suas falas em outras situações.

Ora, todo o temperamento, comportamento e falas são idênticas as do candidato. Dizem que é imitação ou fake, mas cadê as provas definitivas que possam provar que as falas do candidato não sejam as dele nessa mídia?

Dizer que uma coisa não é aquela coisa, é fácil. Mas, daí, para desmentir uma situação há que se comprovar por A + B que tal situação não aconteceu.

E assim vamos vendo nas redes sociais, seguidores de Bolsonaro, espalhando Fake News constantemente em redes sociais, á favor de seu candidato e contra seus adversários, que são conhecedores desse tipo de manifesto, dizer que o áudio não é verdadeiro, mas sem provar que o mesmo seja uma mentira. Cadê as provas? Quais foram os peritos que provaram que tal áudio publicado ontem não é verdadeiro?

Já pararam para pensar que em momento de desespero dele, apessoa seja realmente ele ele, e que por estar num leito de hospital, de fato há mais de uma semana, como todos sabemos, e já estar cansado de nada fazer, prostrado numa cama, por ser, como todos nós temos que reconhecer, um senhor de 60 e poucos anos, ativo, não gostando de estar parado, e ainda estar sendo confrontado em pesquisas por aquele que eles acreditavam ser um poste que não receberia as intenções de votos do povo?

Para os seguidores do candidato do PSL, com certeza é muito fácil pensar que tal áudio seja uma manipulação e ainda ter como acusados, pessoas ligadas à esquerda. Afinal, nem todas as pessoas estão acostumadas à pensar. Tenho visto pelas redes sociais que participo seguidores de Bolsonaro que não conseguem sequer fazer uma leitura de um texto, como esse por exemplo, mas tiram conclusões apressadas sobre tudo, sem fazer uma análise racional dos fatos. Com esse caso, não é diferente.

Quer uma prova? Você que chegou até o final dessa leitura é um dos poucos. A maioria desiste de continuar a leitura, só tendo visto as duas fotos publicadas acima, e mau lido o titulo desse post.


Há ainda aqueles que por saberem que esse blog não tem simpatia com Bolsonaro, sequer teclarão para ler. Em outras palavras, esse é o tipo de pessoa que afirma categoricamente que o áudio do candidato não é dele. Mas, não prova sequer o que propõe contradizer.

Confira a publicação que motivou esta, acessando aqui.