07 setembro 2018

O que aconteceu com Bolsonaro foi justo?

Na primeira foto, Bolsonaro faz pose empunhando artilharia de grosso calibre. No meio, Adélio, seu agressor e na ultima foto, Jair Messias sendo carregado por seus seguidores, após ter sido atingido por uma facada.
A autoria do texto abaixo, foi captado nas redes sociais, nos grupos do Facebook. Não é meu, mas reflete bem o que igualmente penso e venho falando, tanto antes do atentando cotra Bolsonaro, quanto agora. Temos que ser sensatos e termos ciência de que não é por que o outro seja nosso adversário, em terreno político, que mereça ser esfaqueado, fuzilado ou morto. O ser humano ou o cristão que pensar assim certamente ainda não entendeu as palavras do mestre Jesus, que dizem conhecer.

"Desejo que o Bolsonaro melhore rápido da facada que levou, mas também desejo que ele melhore como ser humano, como pessoa.

Que passe a entender que a dor que a gente sente é a mesma que os outros sentem.

Como deve ser triste ver alguém desejando a sua morte, como fez ele à Dilma Rousseff quando descobriu que ela estava com câncer?

E se alguma autoridade prestar homenagem ao Adélio (seu algoz) como ele faz com frequência ao Brilhante Ustra, saberá da dor que as vítimas daquele bandido sentem toda vez que ele toma essa atitude?

Se algum dos seus concorrentes vier a público e ao invés de condenar o atentado, disser que foi armação sua, vai continuar achando que suas declarações estavam corretas quando Lula foi alvo de um atentado à tiros?

Ou disser que é melhor não falar nada, porque o que diria seria muito polêmico, como fez quando do assassinato de Marielle Franco?

E se de lá do leito do hospital assistisse um candidato a Presidência simulando uma facada em um boneco que o represente, iria continuar achando correto ter simulado estar atirando na cabeça do Ex Presidente Lula?

E se visse o Haddad convocando a militância em um comício, para esfaquear ou metralhar os bolsominios, iria achar correto o que fez no Acre esta semana, convocando os seus seguidores a metralhar a "petralhada" do Acre?

Se visse os filhos do Lula circulando com camisetas trazendo fotos de sua cabeça decapitada, continuaria achando correto que os seus filhos tenham feito isso com a imagem do Lula?

E se ouvisse FHC dizendo que ele merecia ter morrido, como ele já disse que o Ex Presidente deveria ser fuzilado?

Será que vai continuar se vangloriando de ser especialista em matar?

Que durante a ditadura militar deveria ter morrido muito mais gente?

Que o policial deve atirar primeiro e depois perguntar quem é?

Bom, tomara que ele faça essas reflexões, volte a campanha e pare de disseminar o ódio contra os seus semelhantes.

Que ele possa aprender que a dor que está sentindo é a mesma que as outras pessoas sentem e que ninguém merece ser torturado ou morto porque pensa diferente da gente.

E por fim, que esta reflexão também seja feita pelos seus seguidores, afinal parecem compartilhar com os mesmos pensamentos.

Violência gera violência.

Autoria desconhecida
(Quem souber quem é o autor, por favor entrar em contato para que eu coloque aqui os devidos créditos)

Vi algumas pessoas felizes e festejando quando tentaram matar Lula, além de apedrejarem sua caravana, quando passavam pelo Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Mas não era nada de mais. Era apenas a carana que estava levando o ex-presidente. Não era Bolsonaro que estava dentro daquele ônibus!



Assim como também, vimos o voto de vergonha para o Brasil, quando no momento do impeachment o deputado fez uma bela homenagem ao torturador Brilhante Ustra, zombando da ex-presidente Dilma Rousseff, conforme vídeo abaixo publicado, além de parabenizar um deputado corrupto, Eduardo Cunha.

Em sua homenagem ao torturador suas frases foram "pela memória do coronel Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff" fazendo uma infeliz referência aquela que foi torturada pelo coronel durante a ditadura, como se tal ação foi a coisa mais banal do mundo.





Temos ainda que lembrar que nesta ultima semana o mesmo Bolsonaro, esteve no Acre, e fez lamentáveis declarações de ódio com arma em punho dizendo que é para metralhar a "petralhada do Acre", conforme palavras suas em vídeo abaixo que roda nas principais redes sociais.



O que equivale à perguntar, no final dessa publicação  por que todos os pensamentos e atitudes más de puro ódio contra Lula, Dilma ou os de esquerda são válidos para os seguidores de Bolsonaro?

Matar, pisar, humilhar, usar armas de fogo, ofensas, fake news, violência, entres outras ações como estas tá certo quando é contra os considerados "petralhas"? Afinal, eles são inimigos de Bolsonaro!

Mas, quando algo de ruim lhes acontece, como foi o caso de ontem, é tratado como injusto, e logo, numa vitimização sem limites, passam à dizer que a culpa de todo erro e de todo mal no mundo é dos esquerdistas em nosso Brasil, que devem ser banidos de nosso país, por serem de esquerda, e por sua vez, contrários à ideologia armamentista de Bolsonaro.





Não há justificativa para para as facadas, para as tentativas de morte contra Lula, tão pouco para com o Bolsonaro. Mas, há de se perguntar: que justiça é essa que festeja, briga, e tenta matar um dos lados mas "revolta-se" contra o erro cometido contra seu líder armamentista?

Tenho falado muito aqui nesse blog e nas minhas redes sociais que o Bolsonaro está formando um exército de pessoas odiosas e cegas, e que mesmo cristãs, estão se preparando para matar em nome do messias, que nada tem à ver com Jesus.




Eu já fui baleado e estive entre a vida e a morte, por que políticos corruptos de minha cidade atentaram contra minha vida no mês de junho de 2015. Até o dia de hoje nenhuma investigação foi feita, todos os sistemas se calaram e mantêm-se calados até agora, por saberem que os contratantes de minha morte estavam, e ainda estão alguns, à frente do poder político. Sei bem o que é ser atingido por uma arma de fogo. Mas, como cidadão, e acima de tudo cristão, nunca pretendi usar qualquer armamento contra meus algozes, mesmo tendo recebido diversas ofertas de portar ou tê-las em casa. Meu entendimento espírita diz que não devo ser agente da morte e que devo me abster de tal possibilidade, mesmo sob a desculpa de defesa pessoal.

Vejo, com tristeza, porém, que muitos que dizem-se cristãos, independente da ramificação religiosa, e até mesmo alguns espiritas ainda tentam justificar o uso de arma de fogo com argumentações pífias. Lamentável. Parece que não estudaram ou desconhecem as palavras do Mestre Jesus, quando nos pede para que não empunhemos armas.

O que aconteceu com Jair Messias Bolsonaro, não tem justificativa e a pessoa que lhe atentou contra a vida, deve passar por todos os rigores da lei. Mas neste caso, é bem sabido que os dois, ele e o Adélio, estão energeticamente ligados, por estarem na mesma sintonia de ódio, de violência e morte.

Esperamos que a recuperação do deputado aconteça à contento, assim como quando me aconteceu. E que ele possa refletir cada passo, cada fala, cada ação, a partir desse triste momento que agora se encontra e tome outras atitudes, afinal de contas, continuar no mesmo erro, não é ser inteligente.