24 abril 2018

Marilia Arraes fortalece seu nome em Pernambuco e bancada do PSB entra em desespero por não conseguir pegar o PT

Cada dia a mais o nome de Marília Arraes se fortalece como a principal bandeira do PT no estado pernambucano, mesmo à contra gosto de alguns que ansiavam por vê-la em segundo plano na corrida eleitoral além de quererem pegar para si os militantes do PT que são verdadeiros puxadores de votos, graças às lutas da esquerda, bem como por ações ligadas à Lula, o principal líder, que embora preso político em Curitiba, continua sendo a principal estrela da esquerda no Brasil.

Marilia Arraes consolida, dia à dia, seu nome para disputar pelo PT ao cargo de Governadora de Pernambuco.

A consolidação de Marília nas intenções de votos no estado pernambucano tem fortalecido a certeza de que o PT manterá candidatura própria. Além disso, tudo sinaliza para que a neta de Miguel Arraes seja a primeira mulher à assumir o governo do estado.

Grupos ligados ao PSB de Paulo Câmara e até mesmo dos tucanos pernambucanos, em desespero pela crescente aceitação de Marília no cenário politico estadual tem levado seus adversários ao desespero ao ponto de buscarem "pregar" à partir das redes sociais e mídias oficiais a falsa ideia de que o PT estaria dividido no estado.

A Jornalista Claudia Eloi escreveu ontem no Diário de Pernambuco que suposto Dilema sobre candidatura para o governo divide o PT. O que não condiz com a verdade, já que existe sim, candidatura própria do Partido dos Trabalhadores, com nome e base completa.

Há porém, alguns moleques, como é o caso de José de Oliveira, que ainda se apega à ideia de ser ele candidato ao governo do estado não querendo abrir mão para uma mulher, demonstrando um machismo desnecessário, além de não ser humilde. Como o mesmo está com pouco espaço dentro do partido, de maneira desnecessária tem tentado causar divisão, ele sim, à legenda. O que é lamentável!


Alguns poucos (parasitas) dentro do grupo ainda pretendem manter a postura de que é interessante vender o partido para o PSB, mostrando assim a fraqueza de suas posições com relação à toda uma luta além de tentarem fechar os olhos para abraçarem vergonhosamente os principais apoiadores do golpe, tendo o partido do falecido Eduardo Campos, à frente de atos covardes contra a democracia brasileira.

O desespero de querer fazer alguma possível aliança não é do PT, e sim, do PSB de Pernambuco que necessita da força petista pernambucana. E como eles são capazes de fazer qualquer coisa para tentarem se manter no poder usarão de todas as armas que lhes estão disponíveis, inclusive "abraçar" companheiros petistas enfraquecidos e vaidosos.