03 março 2018

O perigoso conceito religioso pedante em pleno século vinte e um e a cegueira funcional.

Quantas notícias são postadas todos os dias nas principais redes sociais em que evangélicos de igreja protestante X ou Y fora flagrado em atos obscenos com meninos e meninas, que são estupradas ou estuprados pelos que dizem-se representantes de Deus na terra?

Quantos pastores ou padres usam suas redes sociais para proferirem citações recheadas de ódio, homofobia, preconceito de classe, social ou racial?

Quantos religiosos ainda continuam num "país atrasado" mentalmente usando citações bíblicas de anos e anos fora do tempo contra seus irmãos contemporâneos?


"Nesse tempo muitos hão de se escandalizar, e trair-se uns aos outros, e mutuamente se odiarão. Igualmente hão de surgir muitos falsos cristos e falsos profetas, e enganarão a muitos; e por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriará" (Mateus 24/;10-12)
Por algum erro na linha do tempo tais lideranças conseguem a atenção máxima ás suas falas e formas antiguadas e preconceituosas. Eles dizem estar falando em nome de Jesus, e por estarem á frente de certos movimentos religiosos são considerados, graças á certas formas de fé, homens de Deus.

Os "representantes de Deus", que falam em seu nome, conseguem fomentar ódio á raças, humilhação á povos, detratação á vidas, além de causar sérios danos psicológicos em alguns seres humanos que chegam á entrar em depressão à ponto de alguns darem cabos as suas vidas pela porta do suicídio.

Tá aí um dos perigos extremos tratados como sendo palavras de Deus, ou Palavras do Senhor pelos religiosos fiéis dos diversos credos no Brasil ou em outros países.

Os que dizem-se homens ou representantes de Deus e de sua palavra, tem suas portas abertas nas casas de centenas de pessoas que acreditam piamente que estão recebendo "a unção do senhor" em suas vidas pelas palavras e mãos dos supostos profetas, pastores, cantores, padres, entre outros no meio religioso em geral.

Durante todos os anos que pode-se conhecer da história de todos os povos, á nível mundial, milhares de mortes, torturas e censuras são causadas, em mais de 90% dos casos, por representantes da palavra de Deus.

Tais homens, tratados como deuses, praticamente, ou santos homens de Deus, tem, em sua grande maioria, intenções criminosas contra aqueles que lhes são contrários ou que não participam de seus círculos religiosos.

Mas, se existe uma ação ativa por parte dos que proferem certas sentenças contra os não crentes, do outro lado há uma multidão, verdadeira massa de manobra, que passivamente aceita tais verdades de braços abertos não permitindo que qualquer pessoa, que pensa diferente, lhe dirija a palavra por ser contrário á sua credulidade cega.

Certas formulas religiosas funcionam magicamente na cabeça crédula, que acredita que "assim que alguém está em Cristo, nova criatura é, as coisas velhas já passaram, e eis que tudo se fez novo". sem medirem o peso destas mesmas palavras do apóstolo Paulo de Tarso, á época.

Até o dia de ontem o cara estuprou meninos e meninas indefesas, roubou ou matou, mentiu, causou a morte dos que nem sabiam quem lhes tinha proferido algumas falas maliciosas. Mas, basta dizer que "se converteu" á nova fé que passa, em menos de 24 horas de meros malfeitores à santos que serão levados aos céus, se Jesus voltar amanhã, para morar no reino de glória com ruas de ouro e pedras brilhantes.

Já quanto aqueles e aquelas que não estão em "seus caminhos" ou que desviaram-se de seus templos e credos religiosos, TODOS, estão condenados ao "lago de fogo e enxofre" destinados ao diabo e seus anjos, que Deus criou para eternas torturas, maleficamente.

E não importa se o cidadão é uma verdadeira pessoa de bem. Se ele não estiver em seus círculos religiosos, convertidos á sua fé, está condenado a viver toda eternidade no inferno localizado em algum lugar imaginário, preparado por Deus para sofrimento eterno dos não religiosos ou não congregantes de certos credos. 

Quem não CRÊ em Deus á forma xiita de alguns crentes está destinado á perdição eterna.

Deus é exclusivista, perseguidor, vingativo e extremamente infeliz e maldoso para com suas criaturas se o ser em questão não estiver palmilhando por seus caminhos, segundo o conceito das lideranças religiosas, principalmente aqueles das igrejas pentecostais. 

Você pode até estar com a razão em diversas situações, mas se, de alguma forma, se posicionar contra o "povo de Deus" ou os "homens do Senhor" o errado é você e o correto é o "cidadão" de paletó e gravada, ou o padre que veste a batina sacerdotal.

Graças ás crenças fáceis em que o cidadão não se permite pensar e não é possível analisar tudo á sua volta, religiosos de todos os povos, dos quatro continentes do globo são contrários, uns aos outros, distantes dos crentes de outras crenças, mesmo que eles professem um mesmo Deus, um único criador.

O integrante da igreja X não pode e nem deve visitar a congregação Y pois certas visitas desagradariam ao Senhor. Como assim?

O padre estuprador de criancinhas é pego no ato e seu caso é revelado. São tiradas fotos ou vídeos, são pegos os depoimentos dos molestados, mas mesmo assim, não adianta, para os fiéis tais cenas são uma ação contra "a casa de Deus e seus representantes". 

Há quem veja tais acontecimentos como supostas montagens de "endemoniados" contra o servidor da palavra do Senhor.

O pastor é flagrado transando com a irmãzinha em pleno ato sexual, é preso por estupro, com fotos e vídeos. Mas, o que vale não são as fotos e nem os vídeos que comprova o ato, o peso validado é do líder religioso. Eles "estão sendo perseguidos por serem ministradores ou missionários de Deus".

Se alguém, em algum momento, que não pensa dentro da casinha resolve expressar suas opiniões numa página pessoal, num círculo de amizades ou em redes sociais, passa à ser visto como "um descrente que persegue o povo de Deus que prega a palavra do Senhor".

Em cima dessa fé cega centenas e milhares de almas são preparadas, doutrinariamente, á nunca aceitar nenhuma citação contrária à sua profissão de fé, mesmo que tais citações estejam cobertas de razão.

Observando as condições de certos líderes á frente de cargos religiosos sou propenso á dizer que eles, os pastores ou padres, não estão errados em falar o que falam e professar o que professam. Afinal, há uma legião de crentes que lhes segue sem argumentar, sem pestanejar... eles não estão errados por ganharem o dinheiro de dízimos e ofertas, ou seja, os impostos caros que os crentes são levados á pagar todos os dias e mensalmente. Afinal, segundo suas condições religiosas, os que cobram tais valores "não cobram, eles pedem, você paga se quiser" como me falou dia desses um senhor humilde, integrante de uma dessas igrejas que capta parte de seu salário mínimo para a obra do senhor.

O que me preocupa é que existe uma cegueira intencional pelo fato de fulano ou sicrano ser pastor ou estar em destaque nas mídias.

Não é pelo fato de alguém ser Padre ou Pastor que esteja com o poder da verdade. Infelizmente há uma credulidade cega que tapa as mentes de quem faz parte de determinados grupos, principalmente os grupos religiosos.

Se o pastor disser que fulana está endemoniada e que é preciso fazer sexo com ela, em nome de Jesus, uma centena de pessoas acreditam nas falas do pastor.

Lembro do caso de um pastor do Rio de Janeiro, quando foi descoberto, em que o mesmo teria estuprado quase uma dezena de mulheres. Quando a mídia caiu em cima do "homem de Deus", muitos diziam ainda que "isso era obra do demônio contra o pregador da palavra do Senhor" e ainda culparam as mulheres que foram estupradas por ele como se as mesmas tivessem tentado o servidor da Igreja.

Até quando essa cegueira funcional que tapa as mentes de pessoas "inteligentes"?


Lamentável tudo o que estamos vendo nestes últimos tempos acontecendo nas igrejas, sejam católicas ou protestantes, em que os representantes dessas instituições mancham a imagem de seus templos e se escondem por trás Daquele que não tem nenhuma culpa dom os erros dos que se dizem lhes representar.


Apesar de tudo ainda temos que lembrar, felizmente, que há no meio religioso homens e mulheres de boa vontade, verdadeiros exemplos do que aprenderam do Evangelho do Cristo, que dizemos amar.

Há, sim, homens e mulheres virtuosos que vivem, diariamente o que os discípulos aprenderam com o Filho de Deus. Porém, tais exemplares, raríssimos, não são destaque nas redes sociais ou nas mídias oficiais e alternativas.


Caridade, humildade, honestidade, sinceridade não dá IBOPE!