13 fevereiro 2018

João Paulo trai o PT de Pernambuco, abrindo os braços para Paulo Câmara do PSB que ajudou á derrubar Dilma e virou as costas pra LULA.


O que dizer de um "líder" político que vira as costas para o partido que o ajudou à crescer em seu estado natal?

Ou, por outro lado, você apostaria em líderes de partidos que lhe apunhalou pelas costas, chamando seus principais líderes de corruptos, entre outros nomes que não há necessidade de se falar nesta publicação?

O que pensar ainda de um político que vira as costas para uma líder de seu partido que pode fazer a diferença em ano de eleição em seu estado?

Essas e outras perguntas podem ser feitas sobre a pessoa de João Paulo, um petista que está se mostrando um verdadeiro covarde dentro do Partido dos Trabalhadores ao voltar as costas contra a candidatura de Marilia Arraes que está pré-candidata ao governo de Pernambuco pelo PT.

Ao mesmo tempo que João Paulo vira as costas para Marilia Arraes, volta-se de braços abertos para Paulo Câmara do PSB envergonhando sua sigla partidária, que foi sua casa por anos, que o projetou para a política no estado pernambucano.

João Paulo, acreditando-se sair de braços dados como vice-governador ao lado de Paulo Câmara estaria destruindo o seu próprio histórico como representante petista, bem como, sujando toda a história do partido em possível (agora mais forte do que nunca) aliança com o PSB que recentemente além de ter virado as costas contra o PT ainda participou de um golpe de estado contra o partido dos trabalhadores no tão conhecido Golpe contra o Brasil com o impedimento do governo de Dilma Rousseff.

Enquanto uma bancada petista luta para não ter em seu histórico pós golpe lideranças que participaram do golpe de 2016, outros, como João Paulo, acovarda-se e rende-se, certamente à regalias políticas manchando não apenas sua história como também à de seu partido politico.

Melhor seria se João Paulo abandonasse o Partido dos Trabalhadores à fazer o que está fazendo, covardemente.