02 novembro 2017

Jair Bolsonaro despreparado para o cargo que almeja, em entrevista à Mariana Godoy

Durante entrevista ao vivo, Jair Bolsonaro se negou mais uma vez a falar sobre Economia, admitiu que não sabe sobre o tema e foi corrigido por Mariana Godoy

Quando um repórter, qualquer que seja, de qualquer canal, televisivo ou não, convida alguém para ser entrevistado com certeza não tem em mente o que pode encontrar, embora tenha a elaboração de um esquema á ser traçado. Espera-se uma determinada personalidade que, de alguma maneira domine, nem que seja um pouco, o que se pretende conversar. Evidentemente a pessoa que está indo à este evento prepara-se o mínimo que seja para que corresponda à altura e passe sua mensagem ao público ao qual o programa/entrevista será exibido.

No meio político aquele ou aquela personalidade que for convidado sabe que receberá perguntas de todas as formas e de todos os lados (apoiadores ou opositores), ainda mais se o programa for ao vivo, e repito, tem que estar preparado.

Nessa entrevista, mais uma, da repórter Mariana Godoy, conforme vemos em seu canal no youtube do dia 27 de Outubro, encontramos um personagem, que podemos dizer que foi criado, que exibe no alto de sua soberba quem ele é de verdade e sem medo, temos que admitir. Jair Messias Bolsonaro, pré-candidato pelo PSC à presidência da república que além de estar despencando nas intenções de votos, por onde ele passa, em função de suas falas improvisadas que despertam ódio e preconceito quando o mesmo faz uso do microfone, tem demonstrando à seus seguidores que o caminho que ele está traçando não é de um estadista e sim, de mais um produto fabricado que não suporta pressão da grande massa.

Na entrevista que trago completa abaixo as várias colocações de Bolsonaro, mostra-o despreparado para o cargo que o mesmo almeja. Não permite que os repórteres concluam suas perguntas devidamente selecionadas, e desvia-se de responder a grande maioria delas. Alguns de seus seguidores, porém, afirmam que ele respondeu à todas e ainda deu show, apesar dos micos.

Alguns dos noticiários depois da exibição da entrevista completa de Bolsonaro à Mariana Godoy.

Numa das questões especiais em referindo-se à economia, um dos importantes itens para gerenciamento de uma nação como o Brasil, a repórter questiona se ele tem algum plano traçado para o país, haja vista as diversas performances que a economia brasileira vem travando nestes últimos tempos. O Deputado esquiva-se da pergunta, enrola-se, foge como se fosse um pitinho medroso e desconversa.

Para ele, não interessa ter qualquer conhecimento de economia do país. Tal função pode ficar ao cargo de quem venha à ocupar a pasta, dando sinais de que não consegue agir e sim mandar, autoritariamente, pouco importando se esperam dele uma postura real á frente da administração geral de um país.

Perguntado por um telespectador sobre o “tripé macroeconômico” (câmbio flutuante, meta de inflação e meta fiscal), depois de um sorriso amarelo, ele respondeu: “Quem vai falar de economia por mim é minha equipe econômica do futuro.” Em seguida, justificou a resposta da seguinte maneira:

“Quando o pessoal exige de mim entendimento em Economia, tinha que exigir de mim conhecimento em medicina [também]. Eu vou indicar um ministro da Saúde! Entendimento em Forças Armadas? Eu vou indicar o ministro da Defesa! Em agropecuária? Eu vou indicar um ministro da Agricultura! Acho um exagero [cobrar conhecimento] nessa parte aí.”

Assistindo a entrevista tira-se mais conclusões da atuação desastrosa de Bolsonaro à frente de Mariana Godoy. Por hora o que podemos concluir é total despreparo daquele que acredita que com meias palavras administre-se uma nação com uma economia flutuante, apesar de forte, como o Brasil dos tempos atuais.