24 agosto 2017

Banco do Brasil já fechou mais de 550 agências, Barreiros está na lista das que serão desativadas na Mata Sul Pernambucana?

Um relatório divulgado em maio de 2017 pelo Banco do Brasil (BB) mostra que a instituição eliminou 9.900 postos de trabalho em um ano, até o primeiro trimestre, e fechou 551 agências, mais do que a meta anunciada há alguns meses (aproximadamente 400). O corte no número de "colaboradores" supera 13 mil se incluídos os estagiários. O lucro líquido nos três primeiros meses do ano atingiu R$ 2,443 bilhões, crescimento de 3,6% em relação a igual período de 2016.
De acordo com o balanço, o BB fechou o trimestre com 99.964 funcionários, ante 109.864 no ano passado, e reduziu de 4.612 para 1.420 o número de estagiários. No total, os colaboradores passaram de 114.476 para 101.384, redução de 13.092.
O total de agências agora é de 4.877. Eram 5.428 no início de 2016. O fechamento se concentrou neste começo de 2017, já que até o final do ano passado havia 5.440, número até maior que nos primeiros meses.
Em novembro do ano passado, a direção do BB anunciou um plano de reestruturação que incluía fechamento de agências e plano de incentivo à aposentadoria, que teve 9.409 adesões. Em abril deste ano, o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região lançou cartilha em defesa dos bancos públicos, que já estariam passando por uma "privatização disfarçada". Uma campanha lançada em 2016 já denunciava efeitos negativos, para a economia, da ofensiva do governo sobre o setor público.
Ante o quadro acima exposto passamos à analisar o caso de agências na região da Mata Sul Pernambucana que não tem investimento de crescimento, ficando praticamente esquecidas como é o caso das agências nas cidades de São José da Coroa Grande que tem apenas um caixa eletrônico do BB na cidade coroense ou a cidade de Tamandaré que tem expediente limitado em atendimento à população, passando à ser alvo de diversas críticas há anos.
Não por acaso, para piorar a situação dos usuários, não é novidade, em cada 100 assaltos e arrombamentos à bancos em cidades do interior do estado pernambucano, 65 das agências, aproximadamente, os alvos são as agências do Banco do Brasil.
Na cidade de Barreiros, que não está distante da triste realidade das cidades com agencias assaltadas e arrombadas, criminosamente, temos o exemplo da tentativa de assalto que se deu no último dia 29 de Setembro de 2015, há quase dois anos atrás, deixando o estabelecimento no centro da cidade sem atividade durante meses. Mesmo após a conclusão da reforma do prédio o atendimento à clientela passou à ser praticamente zero.
Ontem, dia 23 de agosto, comerciantes, cidadãos comuns que fazem parte da clientela do BB de Barreiros saíram às ruas em protesto pedindo a reativação das atividades neste município, porém, ante o quadro de desativações e plano de incentivo à aposentadorias, conforme exposto acima, não é de sem pensar que a agência barreirense esteja na lista das que serão desativadas pelos próximos dias? Não seria o caso das agências de São José da Coroa Grande, Tamandaré e Barreiros transformarem-se apenas em postos de atendimento, algo que já vem acontecendo ao longo deste ano de 2017!?