28 dezembro 2016

Garis barreirenses fazem o último protesto do ano em busca de salários. Prefeito Carlinhos da Pedreira é reconhecido como o pior Gestor que Barreiros já conheceu!

Garis de Barreiros realizam mais um protesto, fechando as ruas da cidade. Não é a primeira vez.
Durante o mandato de Carlinhos da Pedreira diversos protestos da categoria foram realizados.
Os garis foram os que mais sofreram durante a gestão dos irmãos Carlinhos (Prefeito) e Léo da Pedreira (Vice)
No ano de 2012, quando Antonio Vicente, conhecido como Toinho da Coca, estava prestes à entregar seu mandato na condição de Prefeito da cidade de Barreiros, o mesmo estava com suas contas regularizadas, já que não haviam reclamações do funcionalismo público sobre atrasos de salários, conforme bem pode-se conferir com quem era servidor durante sua gestão. Porém, no último mês, Dezembro de 2012, aconteceram atrasos de dias, o que não merecia ser visto como um problema. Por uma questão de capricho, o atual Prefeito, Carlinhos da Pedreira (PSB), que está à menos de três dias prestes a entregar a atuação de Gestor para o recém eleito que assumirá à partir de 1º de Janeiro próximo, juntou uma equipe, da classe dos professores, e entraram com uma ação contra a Prefeitura com o fim de bloquear as contas públicas para que os pagamentos fossem garantidos aos servidores. Tudo, no entanto, não passava de um teatro montado com o fim de desmoralizar o ex-prefeito, Toinho. As contas foram bloqueadas e deveriam ser pagas assim que Carlinhos assumisse. Coisa que não aconteceu, conforme o esperado. Sendo assim, os salários que eram para ser pagos em Dezembro, não foi pago naquele mês, e nem no mês de Janeiro. Os servidores receberam, parcelado, alguns no inicio de Fevereiro, outros no final daquele mês.

A luta dos garis é por pagamento dos salários, que estão em atrasados.
Durante os anos de 2013, 2014, 2015 e 2016 uma das principais reclamações dos funcionários da Prefeitura Municipal de Barreiros, seja por parte dos servidores do quadro ou contratados era com respeito à atrasos dos pagamentos. Nenhum funcionário, sem exceção, recebia em dia, tendo a gestão sob os cuidados de Carlos Arthur, conhecido como Carlinhos da Pedreira, e seu irmão, que na condição de vice-prefeito, é quem gerenciava as contas da Prefeitura, ao invés do gestor. O que talvez justificasse os atrasos constantes.

Ultimo protesto do ano e também o último da gestão de Carlinhos da Pedreira (PSB).
Faltando hoje, menos de três dias para o término de seu mandato eis que Carlinhos da Pedreira resolve dar como presente para todos o funcionalismo o não pagamento dos salários. Os funcionários da Saúde paralisaram seus serviços, os da Obra também, além de outros setores. Já os GARIS, setor de limpeza urbana, foram os que mais sofreram nas mãos desta gestão que termina no final deste mês. Infelizmente, pela milésima vez, praticamente, estes profissionais, mau remunerados, voltam à fechar às ruas da cidade como forma de protesto, em busca de seus salários atrasados.

Carlinhos da Pedreira fecha o ano, bem como seu mandato, reconhecido como o pior Prefeito que a cidade de Barreiros já teve a oportunidade de conhecer. Graças à ação dele e de seus familiares à frente desta gestão, as reclamações constantes, em diversos setores, repetem-se do inicio ao final de seu mandato.

Os Garis estão sem receber o salário normal e o décimo terceiro. E infelizmente, segundo informações, não há previsão para pagamento. O que talvez seja resolvido, ou não, à partir do próximo ano, em 2017, quando nova equipe administrativa assume o poder podendo, possivelmente, não assumir os débitos da gestão passada.

Os Garis barreirenses foram foram desvalorizados na gestão de Carlinhos (PSB) e Léo da Pedreira (PP) 
Como podemos ver, neste caso específico, o feitiço virou-se contra o feiticeiro, com a grande diferença de que antes, em Dezembro de 2012 tudo não passava de um teatro montado com a ajuda daqueles que passariam à ganhar durante os anos 2013 à 2016. Agora, todavia, a realidade é bem outra, nua e crua. E como sempre, quem sofre é o cidadão comum, trabalhador, que paga por erros de administradores inescrupulosos, como é o caso de Carlinhos da Pedreira e sua equipe.