13 março 2014

Escola Municipal Luiz Brito Bezerra de Melo e seu destino incerto em Barreiros

Para quem conhece a cidade de Barreiros sabe muito bem que durante anos, funcionava normalmente uma escola no centro da cidade, situada à praça Barão do Gindaí, precisamente depois da Ponte Prefeito Livio Tenório (ainda pretendo falar dessa personalidade nesse blog, por se tratar de um homem justo) e antes da Câmara Municipal de Barreiros, A Casa de Nilo Moraes.

Certamente muitos dos que estão lendo essas minhas linhas nesse momento devem ter passado por lá, seja como alunos ou seja como professores.

Naquela escola conheci a educadora Marisa Nunes, que foi igualmente diretora (hoje dá-se o nome de gestor ou gestora), assim como Severina, conhecida como Sil. Passaram por aquela escola ainda, a professora Conceição, Cicera, Dairton Correia Ralf, e tantos outros nomes que se eu tiver que enumerar não termino a postagem. Particularmente tenho ótimas lembranças e referências, por ter sido estudante durante dois bons anos daquela instituição.

Devo dizer às minhas professoras de português que elas fizeram a parte delas comigo, se tenho meus erros (e os tenho bastante) os créditos são exclusivamente meus.

Esta escola, logo após as duras enchentes que castigaram a cidade de Barreiros nos anos de 2010 e 2011, conforme é notório, não precisando de repetições, foi transferida para um dos galpões de propriedade do ex-prefeito de nossa cidade. Claro que um dos motivos principais seria o ganho, já que o prédio estando arrendado à prefeitura, logo, uma grana à mais estaria entrando normal e legalmente em seus bolsos vindos dos cofres públicos.


Em 2013 o atual prefeito assume, e logo começam algumas "estranhezas" em se falando da localização daquela escola. Que pretendo passar aqui em rápidas linhas.

Logo após as enchentes, conforme sabemos, o prédio inteiro teria sido condenado pela defesa civil, por estar em área de risco. Muitas casas, prédios e locais estaria, segundo a defesa civil, em área de risco. Todos sabemos que muitas casas e prédios na cidade foram condenados à olhos cegos, sem uma perícia devida, já que o governo do estado, pouco ou quase nada estaria se importando com a situação de nossa terra. Olhando do alto, em sobrevoos distantes, enquanto nós vivemos e andamos no terra à terra. E por isso, ainda fomos chamados irresponsavelmente de criminosos, nos anos de 2011 e 2012, tendo assinatura como tal de nossa atual promotora da cidade. Nada contra a mesma, estamos fazendo apenas uma citação verdadeira, conforme temos em documentos, arquivados.

Com a posse do novo prefeito, o senhor Carlinhos da Pedreira, em conjunto com o também empossado, João Neves, vereador, e ainda em parceria com o Padre J. Gusmão, pároco da cidade, a escola se encontra numa das dependências agregadas da Igreja Local, templo matriz em Barreiros. O prédio, supostamente, teria um valor de aluguel por volta de 7 mil reais mensais, segundo informes.

No ano passado, ao que ficamos sabendo, o prédio estava com seu aluguel em atraso, bem como, com pendencias com a Celpe e a Compesa, já que a prefeitura era e é ainda, a responsável por essa parte, já que tem em suas mãos, o contrato de locação. Ou pelo menos assim espero que tudo esteja dentro da lei. Problema resolvido, mediante o apelo do senhor João Neves, que é por sinal, vereador e congregante da mesma instituição religiosa, que usando os microfones da câmara municipal, tinha hora que falava contra o prefeito, pelo não repasse dos valores e tinha hora que falava à favor, deixando os ouvintes um tanto confusos.

Contradição à vista

No final do ano passado a prefeitura municipal faz a reforma do prédio que antes abrigava a antiga escola acima referida. No entanto, o prédio não serve mais para comportar alunos e alunas, como antes. Pelo que sabemos o mesmo local estaria, segundo informes, incapacitado para funcionamento. Como muitos que estão lendo essas minhas linhas, podem conferir, atualmente o prédio está servido para abrigo da Secretaria de Educação do Município. O que contradiz com a primeira informação. Concordam comigo?


Tá, tudo bem! Aqui eu faço perguntas que incomodam as mentes conscientes de nossa cidade, principalmente aqueles e aquelas que pagam impostos, e aqueles outros que optam pelo bem e melhoria de nossa cidade.

- Se o prédio era da Escola Municipal Luiz Brito Bezerra de Melo, por que agora serve como local para a Secretaria de Educação?

- Se existe um prédio próprio, qual a necessidade de estar locando o anexo de uma paróquia, por valor consideravelmente exorbitante (se for apenas esse valor, podendo ser mais ou menos), quando alguns frequentadores daquela igreja, por sua vez, usavam aquele anexo para fins religiosos?

- Qual a importância que estão dando, devidamente aos alunos, já que, segundo informes, os locais que os mesmos estudam é desconfortável, como reclamaram alguns alunos?

- Se o prédio estava condenado pela defesa civil, como é que agora está funcionando normalmente como secretaria?

- Com salas próprias, tudo pronto, qual a necessidade de localizar uma escola, fora de suas dependências?



- No caso do ex prefeito, o prédio estava agregado à prefeitura para ganhos próprios, nesse caso, quem está ganhando com essa locação?

- Porque não voltar a escola, localizando-a normalmente em seu prédio de origem?

- Afinal de contas alguém foi informado, alunos, pais de alunos? Foram tomadas essas resoluções com vistas à esclarecer o povo ou esconderam, como no geral fazem, a parte mais importante, nesse caso, os cidadãos?


- Era aceitável se o local atual que está o prédio fosse próprio. Tudo bem! Mas um prédio alugado com um próprio, trocado?

- Quem está ganhando com isso, senhor prefeito, senhor vice prefeito e senhores vereadores? Afinal de contas, estamos falando de gastos com o dinheiro público, quando, se o prédio viesse para seu lugar de origem, os gastos com certeza reduziriam para a educação. Ou não?

- Quem no geral paga os gastos de nosso município, somos nós, os contribuintes. No entanto, temos mesmo que pagar caro por erros que não são nossos?