05 dezembro 2018

Sobre a falta de pagamento dos salários dos servidores públicos de Barreiros e do excesso de hipocrisia nas redes sociais.

Mais uma vez em pleno final de ano o funcionalismo público de Barreiros passa por mais uma situação de aperto financeiro. Digo mais uma vez por que lembro com muita precisão de que na gestão anterior, em todos os finais de ano essa cena se repetiu, mas parece que alguns esqueceram "milagrosamente". É como se todos os olhares estejam voltados apenas para esta atual gestão, como se todos os pecados do mundo fossem executados apenas por estes. E, é claro, que eu sou visto como o blogueiro chato, tocando em feridas como a da falta de pagamento dos servidores da Prefeitura enxergando tudo o que acontece com outro prisma.

Não estou aqui para defender ou acusar essa ou aquela pessoa, esse ou aquele grupo. Antes, a bem da verdade, ao contrário dos hipócritas que estão sinalizando o não pagamento dos funcionários em 2018, estou fazendo-os relembrar que as reclamações que são feitas hoje são as mesmas, da mesma forma, que na gestão anterior.

E digo mais, que cerca de 60% a 70% das reclamações feitas, principalmente usando as redes sociais hoje, partem de agentes contrários à gestão atual em busca de promoção favorável à gestão anterior, em detrimento dessa última, num teatro dos mais hipócritas e sacanas possíveis, de dar nojo. É aquele mesmo velho e sujo jogo de apedrejar num dos lados para que se esqueça propositadamente que a mancha deles é a mesma sem tirar nem por.

Os anos de 2013 até 2016 foram marcados em Barreiros por atrasos de pagamento de salários dos servidores públicos nas diversas áreas, constantemente. Motoristas, professores, guardas municipais, servidores públicos contratados ou do quadro, passavam dois, três, quatro meses sem receber seus salários. Situação chata que começou à acontecer desde os primeiros três meses da gestão de Carlinhos da Pedreira, até a saída dele do cargo de Prefeito. Por sinal, para quem não se lembra mais, ou finge não se lembrar hipocritamente, depois que este perdeu a reeleição para os atuais gestores (três prefeitos e nenhum vale como administrador) uma das principais providências dele foi não pagar mais a ninguém. A cidade ficou, desde o mês de Outubro até Dezembro de 2016, entregue ao "deus dará".

Hoje, mudado o cenário, os agentes que atuavam na gestão anterior são os que agora usam da mesma guerrinha de antes, para criticar a falta de pagamento.

Tanto na gestão de Carlinhos da Pedreira (Janeiro de 2013 à dezembro de 2016) quanto na de Elimário Farias e João Baleia (Janeiro de 2017 até hoje) o salário dos servidores públicos de Barreiros é marcado por atrasos constantes.
É lamentável como os políticos eleitos de antes e os de agora brincam com a emoção do povo, não cumprindo com suas obrigações, humilhando o cidadão que, por falta de novas oportunidades em Barreiros, tendem à necessitar desses mesmos empregos, praticamente escravos dessa situação deplorável.

Elimário, com o grupo dele e de João Baleia, faziam uma campanha ferrenha, nas redes sociais e fora dessas, dizendo que era "inadmissível que o Prefeito (Carlinhos) trate o povo dessa forma, sem pagar os salários deles". Diziam em seus palanques em período de campanha que "há pessoas passando fome e que não tem o que comer, dependendo desse salário para se alimentar e pagar suas contas".

Hoje, contraditória e hipocritamente, é a equipe de Carlinhos quem está dizendo as mesmas coisas contra Elimário, João Baleia e o atual grupo administrativo, com fins politiqueiros, já que o ex-prefeito pretenderá lançar-se de novo ao cargo de Prefeito em 2020.

Assim como nos quatro anos antes dessa atual administração a situação da falta de pagamento e não cumprimento do dever de um prefeito era visto como coisa das mais absurda possível o quadro se repete com as mesmas características. Nada mudou. Apenas os nomes á frente da gestão.

É lamentável, por demais, o que está acontecendo com os funcionários da Prefeitura Municipal de Barreiros. Mais uma vez, o natal deles será apertado, graças aos políticos covardes. No entanto estes foram colocados nos tais cargos para gerenciar as contas públicas por causa de suas escolhas. Foi à partir dos votos deles que os políticos assumiram o poder e hoje, como troco, lhes pisa e lhes humilha.

Mas, infelizmente, tenho que comentar que mais lamentável ainda é ver o tanto de hipócritas que hoje está nas redes sociais como supostos lutadores contra os desmandos de hoje. Estes são aqueles que defendiam com unhas e dentes (e até ameaças) a gestão passada, que agiam igualmente de maneira covarde contra o povo, e em especial, com o funcionalismo público.

E, enquanto o povo sofre com as contas em atraso, com a falta de alimento em suas mesas, com os credores batendo às suas portas e sem perspectivas estes mesmos políticos tem garantidas suas altas somas e suas mesas fartas para o natal e final de ano, todos os anos.

Ainda temos que observar que dos 13 vereadores, igualmente eleitos pela mesma escolha do povo barreirense, nenhum deles está movendo uma palha sequer contra os desmandos da atual gestão. Mas, a posição destes, a maioria reeleitos, não é diferente dos quatro anos da gestão anterior. Calados antes. Calados agora.