26 abril 2017

Lamentável ver pobres e servidores públicos que ainda teimam em dizer que a greve do dia 28 é apenas uma ação política.

"Sonha e serás livre de espírito... luta e serás livre na vida". Che Guevara

Governo Federal resolve, junto com sua equipe administrativa implantar projetos reconhecidamente impopulares. Assim sendo, a TERCEIRIZAÇÃO, PREVIDÊNCIA PRIVADA, entre outros, são questões que colocam o servidor comum na linha marginal dos interesses nacionais. Por alguma razão, tais projetos que estavam ocultos há anos passaram á ter cem por cento de visibilidade após o golpe político, que dizem alguns não ter acontecido, executado no ano de 2016, quando a ex-presidente Dilma Vana Rousseff, eleita para seu segundo mandato com 54.483.045 (51.65%) do voto democrático e popular, é deposta do cargo por um impeachment que ficou à vista à nível nacional e internacional como uma das ações mais do que covardes contra a democracia.

Dilma foi eleita com mais de 54 milhões de votos. Seu impeachment aconteceu com o voto de 357 deputados federais ligados ao golpe, que desbancou-a, fazendo valer o poder de poucos, em detrimento de muitos. Votar, á partir de então fica mais do que demonstrado não valer à pena, já que se você colocar alguém, os Deputados, Senadores, Ministros, etc, podem tirar à revelia.


Em contra partida, agentes à frente do poder são colocados ou deixados nos devidos cargos, comprovadamente corruptos e os senadores e deputados, além dos nobres ministros, fingem não vê-los. Prefeitos, governadores, etc, responsáveis por pedaladas fiscais constantes e mensais são mantidos em seus devidos cargos por conta da "simpatia" que eles exercem em certos poderes.

As reformas, antipopulares, "estão à porta e batem". Os servidores públicos e os trabalhadores de empresas privadas estão prestes á perderem seus direitos que foram conquistado depois de anos e anos de muita luta, sangue e suor.

Interessante eu falar em sangue, por que à bem da verdade, muitas pessoas morreram, foram feridos, outros tantos estão desaparecidos, por que lutaram em busca da valorização da carteira profissional do trabalhador comum. Muitos que hoje que tem menos que 30 anos certamente não sabem que seus avós viveram tempos difíceis antes que a previdência fosse aprovada, dando-lhes direito à aposentadoria.

No dia 28, daqui há dois dias, o Brasil poderá parar. Professores, vigilantes, policiais civis, trabalhadores da zona rural, profissionais das empresas particulares e/ou públicas, bancários, etc... estão sendo incitados à irem ás ruas lutar por direitos que estão garantidos até hoje, que poderão ser tirados á partir de amanhã, caso estas reformas aconteçam.

Ante o quadro que vemos é de lamentar que pessoas que dizem-se racionais, profissionais, independentes, inteligentes, ainda posicionem-se contra si mesmos, contra seus direitos e digam que a greve geral que irá acontecer dia 28 é por mera questão política.

Alguns optam por se esconderem em suas desculpas politiqueiras, aceitando as "verdades" acionadas pela mídia tradicional ou mídias alternativas contaminadas, e alegam que a luta que aí se encontra, acirrada é apenas uma mera bandeirada política.

Uma profissional, concursada, do interior de Pernambuco, situada na Prefeitura Municipal de São José da Coroa Grande, vem á mim via chat no Whatsapp dizer que "o país vai parar por culpa de pessoas irresponsáveis liderada pelo vice de Dilma do PT". Para ela a condição que estamos passando e estaremos prestes à passar pelos dias que virão é culpa do PT, independente de quem atualmente esteja no poder.

Enquanto isso, a REFORMA DA PREVIDÊNCIA, está prestes à fazer com que milhões de brasileiros percam seus direitos e tenham seus benefícios minguados por interesses particulares de empresários aliados ao governo federal, cujo objetivo é fazer com que os servidores seja, de agora adiante, tratados como escravos pelos novos escravocratas.