01 novembro 2019

Internautas estão abandonando grupos do Facebook e aderindo para Whatsapp muito mais do que pensávamos.


Em todas as épocas há a febre do momento e de década em década a humanidade vai descobrindo novas formas de estar presentes, em destaque de alguma forma. E, claro, á cada nova descoberta novos rumos vão sendo tomados.

Com as redes sociais não poderia ser diferente. Todo os dias internautas de todos os lugares do mundo vão se adaptando á novas ondas de redes sociais.

E para quem começou à conectar-se ao mundo há pelo menos 20 anos atrás sabe bem do que estou falando e pode concluir comigo que todos estamos evoluindo, dia a dia. 

Certas tecnologias que pareciam até pouco tempo fabulosas hoje são consideradas uma grande maioria, obsoletas.

Há pouco menos de dez há quinze anos a onda do momento era o antigo e maravilhoso MSN com o aplicativo que conectava todos de todos os cantos do planeta à partir de conversas de bate papos no conhecido Messenger.

Atrelado á essa tecnologia que aproximava pessoas tivemos o prazer e conhecer o Orkut com suas imagens, videos e troca de mensagens online.

Hoje em dia falar dessas suas simples novidades tecnológicas pode ser considerado velho ou antiquado (e certamente estou enquadrado), sem contar que nem o Messenger nem o Orkut (apenas para citar as que faziam mais sucesso na época) nem mais existem.

Para substituir essas maravilhosas ferramentas tivemos o lançamento do tão famoso Facebook no no de 2004. Todas as pessoas que tinham e usavam Orkut e Messenger migraram para essa nova rede social que ao mesmo tempo que aproximava pessoas (essa sempre foi a proposta principal) acabava por isolar alguns que passaram a usa cada vez mais essa rede.

O Facebook, claro, fez tanto sucesso que graças a ele, com as ações de seus usuários, governos foram mudados e planos foram implantados em vários países, inclusive Brasil.

Tão forte e atuante quanto o facebook temos ainda o Twitter, que foi lançado dois anos depois, em 2006. O microblog como é chamado, com poucos caracteres (ou seja, não dá para fazer textão nesta rede, como acontece no face), conquistou massa e milhares de internautas fazem uso desta rede, ainda.

O instagram é uma outra ferramenta lançada em 2010 e tem ganhado números altos em se falando de usuários. 

Outras redes sociais entraram no comercio virtual, conquistando, claro, centenas e milhares de internautas todos os dias. No entanto, eu acredito que o Whatsapp é hoje o principal aplicativo que tem abraçado todos os usuários de redes sociais.

O internauta pode ter uma conta no Istagram, no Twitter, no Facebook ou qualquer outra, mas não dispensa de ter um número de telefone conectado (as vezes até mais de dois números) ao aplicativo que em poucos passos já te coloca em contato com todos os números que es~tão listados na agenda telefônica de qualquer Smartphone.

Mas, de onde estou tirando essas conclusões, sem qualquer estudo que possa comprovar o que digo, sem que qualquer apontamento feito por especialistas, etc?

Recentemente resolvi observar minhas redes sociais e analisar quem e quais são os contatos que ainda constam em minha lista de amigos virtuais, bem como, num grupo ue criei ha quase dez anos.

A Turma do Setor foi inicialmente um grupo formado com o proposito de unir uma galera que sentava num local, aqui na cidade de Barreiros e que discutíamos de tudo, desde política, futebol (assunto menos comentado) á religião (foco centrado quase todas as noites). Como tínhamos uma mentalidade aberta e bastante à frente de nosso tempo eu acreditei que poderíamos tratar dos mesmos assuntos online. Lêdo engano. Em menos tempo do que imaginei os "formadores de opinião" de meu tempo deformou-se. Restou apenas a rede social que terminou tendo como foco assuntos políticos e sociais inicialmente da cidade de Barreiros, mas que ganhou o mundo.

Mas, agora depois de alguns anos de atividades pude constatar que, principalmente depois das eleições do ano passado, muitas pessoas estavam abandonado outros grupos de bate papos, que também participo e migrando para grupos dentro do aplicativo Whatsapp, que embora tendo menos espaço para usuários, (grupos do whatsapp abrigam apenas 256 integrantes), em ainda assim, tem tirado as atenções do grande público do facebook, que não tem limites de participantes. Há grupos no facebook que comportam milhões de integrantes.

Quando eu comecei á fazer uma faxina no grupo Turma do Setor, pude perceber que muitos dos perfis constavam ainda dentro deste mas com status de desativados. Claro que, acredito que muitos dos perfis ativos até poucos meses atrás em período eleitoral poderiam ser perfis fakes. No entanto, centenas de outros eu tinha e ainda os tenho agendados em minha agenda telefônica. Perguntei á vários deles se ainda tinha suas contas ativas no Face e os mesmos disseram que tinham desativados por que o Whatsapp é mais fácil de conversar com seus contatos e portanto não valiam à pena estarem ainda naquela outra rede.

De fato, centenas de pessoas estão trocando o Facebook e  migrando tanto para o Instagram, que tá voltando á ser febre na mão de alguns, quanto e principalmente para o Whatsapp.

Se você fizer um teste, para conferir o que estou dizendo,basta ir na sua lista e amigos, no facebook e procurar todos os seus contatos. 
Certamente vai conferir que muitos estão aparecendo sem fotos. Basta teclar em cima deste contato específico e verá que há uma informação de que ele não mais existe. O mesmo face pede para que você desfaça amizade.

Certamente que o Facebook terá que se reinventar pelos próximos tempos ou o mesmo poderá ter o mesmo destino que o antigo Orkut e demais redes que fizeram história durante um bom tempo, mas que foi levado e relegado ao esquecimento. 

Quanto ao meu antigo grupo, TURMA DO SETOR, como falei, tirei todos os usuário dele e mudei o nome, imagem de apresentação, etc... e hoje o mesmo se chama INFO BARREIROS, aonde pretendo ter usuários (aqueles que ainda curtem grupos no Facebook) com foco ás questões sociais e políticas locais, principalmente aqui da região da Mata Sul de Pernambuco.

Ou seja, o Facebook pode até não se reinventar, mas eu faço minha parte, apesar dos pesares.