17 setembro 2019

HOSPITAL DE BARREIROS - Três médicos pedem demissão, certamente por falta de pagamento de salários, população sem atendimento. Saúde precária na cidade.

Mais uma vez o Hospital Regional Jailton Messias, é palco de destaque. Sob a administração de uma empresa terceirizada, sob os cuidados da Prefeitura Municipal de Barreiros, a população tem reclamado constantemente por falta de atendimento ou atendimento precário.

Há poucos mais de um mês atrás, também por falta de atendimento, populares passaram à anunciar nas redes sociais que o hospital tinha fechado as portas, colocando em pânico toda uma cidade que necessita de ser atendida naquela instituição.


Embora o anúncio de que havia fechado não fosse de todo verdade, ainda assim, é fato de que centenas de cidadãos e cidadãs estão passando por dificuldades para terem um atendimento de qualidade naquele local.

Muitos barreirenses tem que recorrerem á atendimentos médicos em São José da Coroa Grande, Sirinhaém, Palmares, Recife, etc... Isso para os que tem condições de locomoverem-se. Já para os que não tem condições, ficam à mercê, sem saberem o que fazer.

Em cima de tudo isso encontram-se, na cidade, vereadores se aproveitando da máquina pública, conseguindo por baixo dos panos cirurgias e outros atendimentos, facilitando a vida para futuros eleitores, ou mantendo no cabresto os de seus currais eleitorais, ao mesmo tempo que eles mesmos não denunciam nada do que de fato está acontecendo com a saúde pública em nosso município.

Por outro lado, estes mesmos cidadãos e cidadãs que se aproveitam destas facilidades são incapazes de denunciar estes esquemas por estarem nas mãos de quem lhes consegue tais facilidades, sendo também eles, coniventes com o que acontece.

No dia de ontem, 16 de Setembro, segundo fontes de dentro do Hospital, três Médicos pediram demissão, certamente por não receberem seus salários e/ou benefícios.

Por conta da falta destes três médicos, dois plantonistas ficaram para atendimento, no entanto, sem condições de atenderem à todos que chegavam aquele local.

É importante frisar aqui que não estamos aqui tratando dos funcionários daquele hospital. Não os posso culpar, nem podemos, já que estes mesmos para funcionarem, estão atuando, certamente, e situação difícil.

Mas, se há falhas, alguém tem que responder por estas falhas. E é aí que encontra-se a raís do problema: por conivência de muitos, como no caso dos vereadores locais, que são 13, não há quem cobre, se não há quem cobre, não há problema.

Enquanto os vereadores recebem mais de 7 mil e 500 reais todos os meses, mais facilidades, tendo condições de serem atendidos em hospitais particulares, graças à seus planos de saúde, a população está sofrendo, em busca de atendimento médico e hospitalar que não funciona de verdade.

Os números que a administração da saúde pública, do hospital  e da Prefeitura são apresentados, incrivelmente serão os melhores, contrastante com a realidade, que fica do lado de fora da porta, á espera de que a saúde funciona.

Neste vídeo abaixo eu solto meu desabafo com relação ao que acontece e está acontecendo. Situação que não vem de hoje está se repetindo, e certamente se repetirá.

É preciso ter coragem para lutar contra tudo isto, e mudar o que estamos passando.