13 outubro 2017

Estratégia da direita, para as eleições de 2018, é tão somente atacar o PT e a esquerda, sem apresentar uma solução viável para o país.

Quando a direita faz seus planos eles vão à fundo até encontrar um buraco para enterrar seus desafetos. A mídia é arrolada à seus projetos de maneira financeiramente amigável, se é que me entendem. Isso não é nenhuma novidade já que, verdadeiramente, a direita só tem ou mantem-se no poder à base de negociação de cargos e muitos incentivos financeiros para seus páreas. Geralmente, quem muito investe, muito quer de volta.

Atualmente o Brasil desfruta de mais um golpe contra a nação brasileira impetrado por quem melhor entende dessa pasta, o grupo da direita, tendo como principais líderes o PMDB, PSDB, DEM, PSB e alguns outros aliados. Já aconteceu em 1964 e repetiu-se no ano de 2016 com a deposição do cargo da ex-presidente Dilma Rousseff, que até os dias de hoje não conseguiram provar sua culpabilidade.

O plano é claro e não precisa de muitas notas para enxergar a realidade à sua frente: derrotar o PT, que é de esquerda, derrubando Lula e seus aliados, à todo custo.

Lula é inocente de todas as acusações que pesa-se contra ele? Ninguém pode dizer que sim ou que não. Mas, até então conseguiram provar sua culpa? Há, é claro, diversas falácias, que dia à dia mostra uma outra realidade deixando aqueles que antes acreditavam em sua culpa com uma pulgamorista atrás da orelha. Afinal de contas se ele é culpado e existem provas que podem levá-lo à cadeia (como era até o final do ano passado o desejo e sonho da falsa elite brasileira), por que essa morosidade em prendê-lo?

Tem alguma coisa errada no "reino da dinamarca dos brasileiros de direita" que não se enquadra. Até onde e até quando isso tudo?

Recentemente um delegado foi afastado do cargo por que delegou uma "expedição" à casa do filho (adotivo) do Lula, com ordem para fazê-lo assinada por uma juíza que, diga-se de passagem, tem ligações diretas com a bancada do PSDB e PMDB. Suposta coincidência. A denúncia, inescrupulosamente anônima, veio provar-se fake, já que nada encontraram na casa o cidadão.

Lula já teve decretada condução coercitiva com ordem por parte de Sérgio Moro que autoriza a filmagem completa do ex-presidente sendo conduzido à depoimento. Logo Luiz Inácio, que nunca fugiu de nenhuma empreitada, e que certamente, se fosse chamado iria à qualquer delegacia, em qualquer lugar do Brasil, quanto mais em sua mesma cidade.

Foi também ideia de Sérgio Moro interceptar gravação de Dilma à Lula jogando as mesmas para serem apresentadas, como um cordel de quinta, na Rede Globo, em posse das organizações da Família Marinho. Lembro-me que o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, Silas Malafaia achou maravilhoso tal procedimento e em vídeo vibrou dizendo estarem agindo corretíssimos e certíssimos contra o ex-presidente. Em poucos meses o mesmo foi chamado sob mesma ação. Logo, volta atrás à sua palavra e disse que "não precisava daquilo, que ele não era bandido, que não havia necessidade, e se precisassem que ele fosse à delegacia era só ter lhe convidado, etc, etc, etc..." É aquele ditado: "pimenta no c... dos outros é refresco"

Acreditando a direita que estavam virando o jogo resolvem montar suas bases eleitoreiras para as eleições de 2018 por crerem já ter derrotado os gigantes do PT.

Seria Aécio Neves? Não mais, já que o playboyzinho tá muito melado no pó de sua própria corrupção.

Talvez João Dória, o novo "astro" da Prefeitura de São Paulo que já perdeu o caminho retalhando a capital paulista causando transtornos com seus exibicionismos, perdendo a rota de sua farsa administrativa.

Talvez Geraldo Alckmim seria a salvação. Quando conferido em pesquisa popular o mesmo sequer aparece o suficiente para ser aplaudido ou levantado no cenário brasileiro.

A solução, talvez, aliados com a VEJA, seria criar um personagem que saia das histórias em quadrinhos e mesmo sendo mal poderia se "converter" ao bem.

Sendo assim pegaram o Bolsonaro que foi expulso da escola de oficiais do exército por plano de terrorismo, insubordinação e por ser também um integrante preguiçoso em busca de vantagens fáceis, e o levantaram à condição de "herói", assim como fizeram com Moro, e tentaram colocá-lo como pré-candidato à presidência do Brasil. Na última semana a revista VEJA expede praticamente uma carta de desculpas em matéria que apresenta-o como monstro nocivo para a nação brasileira, contradizendo matérias anteriores em que a mesma o apontava como salvação para o país.

Enquanto isso, apesar das diversas enxurradas de citações em que citam que Lula é ladrão, (conforme os direitopatas estão acostumados à citar) o ex-presidente é um dos mais cotados, em todas as projeções, para ocupar o cargo de Presidente da Nação Brasileira, até o exato momento.

Ainda temos 12 meses pela frente para conhecermos quem ocupará o cargo de presidente da nação brasileira. Antes disso, muitas outras batalhas, acusações, tentativas de prisão e infelizmente (temos que pensar nisso) risco de morte, poderá sofrer Lula nessa caminhada.

Quais serão os passos daqui para a frente e as novas estratégias direitopatas para a tomada do poder e/ou manutenção? Não o sabemos, apesar de já prevermos algumas estradas estranhas com pedras enormes, politicamente falando, pelo caminho.