27 agosto 2015

Motoristas dos ônibus que prestam serviços à Prefeitura de Barreiros poderão protestar nesta sexta-feira (28) por falta de pagamento.


Os motoristas que trabalham na empresa que presta serviços à Prefeitura Municipal de Barreiros, conforme já trouxe aqui outras vezes (leia mais aqui), estão revoltados com a forma desumana que estão sendo tratados pelos responsáveis dos transportes.

Segundo eles, existem funcionários da empresa AGRESTE que estão sem receber seus salários. Uns estão com dois meses de atraso, outros com três, e outros com quatro meses sem receber. Conforme citam, tem funcionários que recebem um mês e ficam dois dentro. Alguns recebem e outros não. E assim, todos os meses é uma verdadeira bagunça, com tratamento desumano por parte dos que fazem a empresa (ou empresas) que presta serviços à Prefeitura Municipal de Barreiros, na área de transportes.

Segundo informações, eles estariam esperando até hoje, quinta-feira dia 27 pela confirmação de pagamento em suas contas bancárias, conforme lhes tinham garantido Maro e Armando, responsáveis pela área de transporte, conforme me foi informado por comunicação via celular, na noite de hoje.

Os motoristas informam aos estudantes das regiões da Massa Falida, Venâncio, e demais platôs, bem como dos engenhos que amanhã estarão paralisando seus serviços até o recebimento de seus valores, já que até o exato momento, nenhuma solução se deu, ante as diversas tentativas deles de receberem seus salários.

Durante o dia de hoje, quinta-feira, metade dos motoristas já não rodaram, como forma de pressionar os pagamentos, no entanto. Eles estavam à espera de que seus salários entrassem em suas contas. Coisa que não aconteceu. Razão de terem entrado em contato na noite de hoje, seja via Celular, ou por contato via Facebook.

- "Nós trabalhamos nos ônibus da Prefeitura e a gente não recebeu ainda. Fazem dois meses, já... A gente não rodou hoje... metade de nós não saímos em campo. Teve gente que trabalhou hoje e outros que não. Um tal de Maro (rum dos responsáveis pela empresa que presta serviço à Prefeitura) diz que se não trabalharmos seremos demitidos, sem nossos pagamentos". Diz um dos motoristas por telefone, que prefere não ser identificado.

Segundo eles, amanhã estarão paralisando os serviços e estarão em frente à Prefeitura pela manhã, em protesto, cobrando seus salários em atraso, de maneira à resolverem, já que, conforme já foi dito, tem gente que recebe um e ficam dois meses dentro. assim como tem uma parcela que recebe e outra que não, e assim, eles ficam revezando com estes profissionais.

Ainda segundo os motoristas, o senhor Maro (irmão do vereador Ita) teria dito para eles que "sabe que o salário está em atraso e não pode fazer nada, já que ele é pago para mentir para os motoristas".

A classe de motoristas está ainda informando que Armando, o chefe deles e responsável pela empresa não lhes dá nenhuma satisfação sobre seus salários, o que por sua vez leva-os à indignação pela forma humilhante que estão sendo tratados.

Eles dizem ainda que estes atrasos são do conhecimento do irmão do Prefeito, senhor Leonardo Avellar (vice-prefeito) que junto com o senhor Armando, estão à frente desta empresa que presta serviço para a Prefeitura, sob a gestão de Carlinhos da Pedreira.

Ainda dizem que se a paralisação de amanhã não surtir efeito, estarão entrando com uma ação coletiva no Ministério Público de Pernambuco, com o fim de receberem todos os seus salários em atraso.

- "É humilhante ter que trabalhar dessa forma, sem ver a cor do dinheiro. E muitas vezes tem gente que não entende o que estamos passando, criticando-nos. É bom que saibam que se não paramos até agora é por que pensamos nos pacientes e nos alunos, que também sofrem se não trabalharmos". Diz um dos motoristas em contato comigo, via Facebook.

Eles ainda informaram que um dos ônibus que leva alunos para faculdade em Palmares, na tarde de hoje (27) faltou óleo, o que segundo eles, é um perigo já que o motor por falta de lubrificação pode parar, causando acidente caso esteja em velocidade numa estrada, perigosa, como é o caso da que liga Barreiros até Àgua Preta.