06 agosto 2014

Pernambuco pode atrair mais indústrias, defende Armando‏

Candidato a governador vai investir em qualificação e infraestrutura
Em reunião com os integrantes da Associação das Indústrias do Distrito Industrial do Curado e Várzea (Assinc), na Região Metropolitana do Recife, o candidato a governador de Pernambuco Armando Monteiro (PTB) apresentou nesta terça-feira (5) uma série de propostas para ampliar a atração de investimentos no setor industrial no Estado.
 
Entre os projetos, a criação de um ambiente regulatório e tributário mais adequado ao ciclo de crescimento econômico que Pernambuco vem apresentando nos últimos anos, graças ao apoio do governo federal. Para Armando, para “preencher os elos a cadeia produtiva e ampliar a matriz industrial”, Pernambuco precisa investir prioritariamente em infraestrutura, com destaque para a recuperação e ampliação da malha viária e obras hídricas, além do fortalecimento da qualificação profissional.
 
“Temos o pior ambiente tributário do Nordeste e o 17º em todo o Brasil, segundo a unidade de inteligência da revista inglesa The Economist”, explicou o candidato. Armando lembrou que pretende enviar à Assembleia Legislativa a proposta de criação do Código de Direitos e Garantias do Contribuinte. Também pretende criar a Empresa Pernambucana de Participações, que vai gerir as Parcerias Público-Privadas (PPPs). “Temos que ter uma interface mais ágil e que estimule a relação com os empresários”, revelou.
 
Armando ainda defendeu que estradas como as BRs 232, 101 e 423 precisam ser requalificadas. “O contorno urbano da BR-101 na Região Metropolitana deve ser recuperado com urgência”, argumentou, lembrando ainda obras como o Arco Metropolitano, necessárias para o desenvolvimento de Pernambuco. “Isso vai requerer uma parceria estreita com o governo federal”, enfatizou o senador licenciado, que apoia a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).



METROPOLITANA – Armando ainda afirmou que os problemas da Região Metropolitana, local onde o Distrito Industrial do Curado e Várzea se encontra (no limite entre Recife e Jaboatão), exigem uma ação coordenada, com intervenção decisiva do governador. “Pretendemos criar um Conselho Metropolitano com a participação do governo do Estado e das prefeituras. Questões como meio ambiente, uso do solo, mobilidade e infraestrutura urbana devem ser discutidas. Também pretendo fortalecer o Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico e Social, cuja mais recente reunião aconteceu em 2011”, reforçou.

Assessoria de Imprensa do PTB.