07 agosto 2014

DEPOIMENTO.

Cesar Oliveira
Quero antes narra uma linda passagem de amor de um pai e filho que também se pode exemplificar em uma mãe. Pois, mãe / pai é duas vezes mãe.
Em um jardim repleto de plantas e árvores, sentado estavam em um banco de madeira, pai e filho. Enquanto o filho folheava o jornal o pai observava atentamente a chegada de um pássaro que acabará de pousar em um galho de uma planta. Os dois permaneciam em silêncio absoluto na companhia um do outro. De repente aquele silêncio é quebrado pelo pai. Então, passo a narra o acontecido em um diálogo entre os dois:

PAI - O que é aquilo?
FILHO – Um pássaro.
PAI – Após uns segundos, pergunta: O que é aquilo?
FILHO – Já lhe disse pai, é um pássaro.
PAI – Logo depois de refletir o pai pergunta outra vez: O que é aquilo?
FILHO – De maneira ríspida, responde: Um pássaro pai, um pássaro. Volto a repetir é um PÁS – SA – RO!!!
PAI – Após alguns instantes o pai pergunta, mas uma vez: O que é aquilo?
FILHO – Porque está fazendo isso? Já lhe disse várias vezes, aquilo é um pássaro! Não consegue entender? PAI – Levanta e em silêncio retira-se. Após alguns minutos retorna com um livro e pedi ao filho para em voz alta lê um trecho de leitura.
FILHO – Então o filho começar a fazer a leitura: Hoje meu filho, mas novo que há poucos dias completou 3 anos ,estava sentando comigo no parque quando um pássaro pousou na nossa frente. Meu filho perguntou-me 21 vezes o que era aquilo, e eu respondi todas as 21 vezes que aquilo era um pássaro.Eu o abracei a cada vez que ele me fazia a mesma pergunta , de novo e de novo... Sem me zangar, sentindo carinho pelo meu inocente garotinho.
Conclusão: O filho fecha o livro, contempla seu pai e de forma carinhosa lhe abraça e beija seu rosto.

O amor e a compreensão são agradecimentos também de filhos para com os pais.

Há! Quantas vezes a mesma pergunta eu fiz!

César Oliveira.