31 maio 2014

Horacio Hagnneth desabafa em redes sociais

Horacio Filho, é conhecido popularmente em nossa cidade. Hoje, em particular ele aparece com uma resposta à uma pergunta feita por uma amiga nas redes sociais, que merece nossa atenção.

Abaixo temos a pergunta da amiga dele e sua resposta, bastante interessante, captada diretamente de seu perfil pessoal no facebook.

Pergunta da amiga: Andrea Sanchez Timoteo (Via Facebook)

- Meu Deus que esta Acontecendo com Barreiros?

- A resposta não é de Deus, mais do amigo: Horacio Hagnneth

O que está acontecendo com Barreiros, amiga, nada mais do que está acontecendo com todo o Brasil: pessoas sem compromisso com a nação, com o pais, com os estados e com as cidades. Veja que a evolução das coisas só pioram nossas vidas. Lembro-me que éramos crianças e brincávamos de frente a nossas casas, conversávamos com os vizinhos. Lembro que o bairro dos lotes era calmo, nossos pais colocavam cadeiras nas portas das casas pra conversar, lembro que nossos pais até cochilavam sentados em cadeiras de balanço em nossas calçadas. Em rio una não era diferente, na rua do carrapicho, era so diversão, íamos para o clube de rio una pra nos divertir e não pra arrumar confusão, que jogo de baralho era coisa de apostar ginbras, confeitos...

Realmente tempos bons que não voltam atrás! Víamos as nossas ruas sem calçamentos, sem asfaltos, mais que era coisa de família. Nos lotes existiam famílias de verdade, pessoas decentes que eram amigas, famílias, companheiras.

Na época do prefeito Inaldo Ferreira, essa época estávamos nos preparando pra o concurso de arraias que existiam em cada bairro e no final de junho era a grande disputa no patio da rua Santa Terezinha. Bairro X bairros. Onde escolheriam os melhores arraiais. Alí sim existia cumplicidade e não sabíamos de tantas mortes e divergências entre pessoas de nossa cidade. Ir a escola era realmente querer aprender, e não agredir professores, usar drogas e armas dentro da sala de aula.

Brigas de vizinhos era discussão besta que terminava em abraço e choro de emoção, e não discussão com termino em morte, pessoas que se conhecem que sabem o procedimento se transformam em marginais por consequências de R$ 20,00 (vinte reais) ou até menos.

Viver hoje ta difícil, com tanta roubalheira, tanta gente desumana, tanta ambição, que as pessoas se esquecem que somos todos irmãos!

Esquecemos que somos fruto do mesmo Deus. Isso é o que está acontecendo em nossa cidade, nosso estado e nosso país
.