02 abril 2014

Vidas banalizadas

O que dizer quando encontramos conhecidos e pessoas nossas entregues na dor e no desespero?

Ontem mais uma família em nossa encontra-se entre a dor da perda e a ideia do nada, sem saber o que fazer e o que dizer diante da vida e da morte.

Eu poderia vir aqui e fazer um texto longo, falando disso, ou daquilo, ou da política local, com suas entranhas sujas... 

Mas não estou conseguindo... Sinceramente, não! Hoje não!!!

Mais uma morte!

Vão inventar todas as desculpas possíveis para não atenderem a família nas necessidades vindouras. 

E mais uma vez, como estão acostumados, vão dizer que a culpa foi de quem perdeu a vida.

Não estou aqui para julgar ninguém, principalmente hoje, e nem dizer que fulano ou sicrano está certo ou errado.

Talvez minhas linhas estejam um tanto reflexivas...

Mas, os amigos que lêem meu blog já pararam para pensar como ultimamente em nossa cidade, a vida humana está sendo tratada? 

VIDAS BANALIZADAS!

Falta humanismo! Falta caráter! Falta interesse para com o outro.

Não adianta ir á uma igreja e dizer-se cristão, ou seguidor dessa ou daquela religião. Não! Se na hora de demonstrar o verdadeiro sentimento olhando o outro como um irmão, estamos vendo apenas mais um número.

Ultimamente, nas redes sociais de minha cidade, estou vendo muito mais pessoas querendo aparecer, falando um monte de baboseiras, sem nexo.


Estes não estão preocupados se você que está lendo minhas linhas, vai chegar são e salvo em sua casa, depois que vem do trabalho ou da escola à noite;

Não estão interessados se na sua casa vai ter água para beber hoje ou se a luz elétrica de seu bairro está ativa ou não;


Não estão interessados se a segurança no seu bairro é um fator importante ou apenas mais um dos problemas que serão resolvidos, talvez, num outro tempo...

O importante é que eles consigam retirar, sugar, captar mais e mais do que investiram. 

E olha que não investiram pouco!

E para isso, terão que pisar nos menos favorecidos, e usurparão o dinheiro da pior forma possível...

Usarão mão de obra barata...

E ainda sorrirão na sua cara, ou apertarão na sua mão cinicamente, fingindo-se seus amigos.

Mais uma morte.

Apenas mais um na lista...

Quem pagará essa conta?