04 março 2014

Todas as segundas à noite

Poucas pessoas tem noçao, ou pelo menos não fazem a mínima ideia. Mas à mais de dois anos, se não estou enganado, nos reunimos, minha esposa, alguns amigos e eu, para fazer o estudo de uma das obras de Allan Kardec, chamada de A Gênese , em nosso lar. Todas as semanas, sempre às segundas feiras, à partir das 19 horas.

Por essa razão, alguns que me ligam nesse dia especifico, entre as 19 horas até as 21 horas não nos encontram pois temos o saudável habito de desligar nossos celulares, para tão somente nos concentrarmos em nossos estudos.

Felizmente, depois de repetidas semanas, estamos vendo aluns frutos. Poucos, mas interessantes.

Faz alguns dias que gostaria de dividir isso com meus amigos, contatos e leitores. Mas ainda tinha achado pé para isso.

No geral, entre segunda á sexta, ou no máximo sábado, estou sempre online, com minhas postagens, com minhas cutucadas, etc... 

Depois de um tempo, alguns amigos e amigas passaram á me ver cada vez menos online, principalmente nas segundas feiras.

Claro que vai ou vem, estamos online nas segundas, contrariando as expectativas.

Mas como sou sempre levado à não seguir regras...

Hoje no entanto, uma mensagem lida por minha esposa me chamou bastante a atenção.

Só para situar os amigos, antes do estudo diretamente no livro A Gênese, é costume entre nós fazer a leitura de uma mensagem antes, depois uma prece, em seguida o estudo finalizando com mais uma prece.

O Livro A Genese de Allan Kardec se diferencia por uma característica toda especial. Aqui vamos pouco à pouco entender o que vem á ser milagres, curas espirituais, se existe ou se não, o que são fluidos, será que existem comunicações entre os dois mundos, material e espiritual, Deus existe mesmo ou é mera ilusão das mentes religiosas, etc... Claro que o clima de estudo em nossa casa goza de uma perfeita harmonia em que aprendemos mais, muito mais uns com os outros.

Mas, voltando ao meu objetivo de hoje. Todas as noites, logo após nossos estudos, se Deus assim me permitir, pretendo trazer algumas considerações sobre uma mensagem, uma dica de livro, que antes aconteciam todos os domingos, ou uma reflexão de uma mensagem do que foi lido numa dessas reuniões.

Claro que não pretendo fazer isso sozinho e para isso, vou solicitar a ajuda de minha esposa,. ou de alguns que vieram à nossa casa, e com a permissão deles vamos conversar com os amigos sobre o pouco que aprendemos em se falando desse estudo, que é por demais interessante.

A Gênese é um livro composto com por três partes essências. Que são:

- A Gênese Caráter da revelação espirita
- Deus - Existência de Deus
- O Bem e o mal - Origem do bem e do mal...

Entre outros assuntos da primeira parte composta com 12 capítulos.

Depois vem a segunda parte do livro com o titulo de Milagres. Que são: 

- Caracteres dos milagres - Os milagres e o sentido teológico.

Entre outros capitulos, composto de 04 capitulos, com subtitulos.

E por ultimo e não menos importante As Predições.

São assuntos principais tratados nesse ultimo grupo de titulos;

- Teoria da presciência
- Predições do Evangelho
- São chegados os tempos - Sinais do tempo.

Claro que não somos as melhores pessoas do mundo à tratar desses assuntos, por isso, estamos sempre treinando, e aprendendo uns com os outros.

Esperamos, sinceramente, encontra pessoas sinceras em compartilhar com a gente de assuntos pertinentes ao livro em questão, dividindo assim suas dúvidas, trocando ideias e conhecimentos conosco, pois todos nós precisamos.

Estamos querendo em definitivo marcar um diferencial usando a força desse blog em prol de algo maior do que estamos fazendo nestes ultimos tempos, ganhando assim, um espaço, que já é nosso, com questões mais interessantes.

As vezes temos que dar dois passos ou mais e parar por uns tempos, os que caminham tortuosos para não andar como eles, aprendendo com seus erros, com o fim de ajudar à nós mesmos, bem como à outros em nossa caminhada evolutiva. 

Na noite desta ultima segunda feira, minha esposa leu uma magnífica página, que quero trazer para apreciação de todos. Antes de trazê-la à público, em minha página, devo dizer que meditei bastante nas mesmas, vendo-as necessárias aplicá-las antes à mim mesmo.

A reunião aconteceu ontem, como falei entre as 19:00 as 20:30.

Segue as linhas lidas por Emilia Eunice, responsável pelo blog Nossas Tagarelices, minha esposa.
Indulgência - André Luiz

A luz da alegria deve ser o facho continuamente aceso na atmosfera das nossas experiências.

Circunstâncias diversas e principalmente as de indisciplina podem alterar clima de paz, em redor de nós, e dentre elas se destaca a palavra impensada como forja de incompreensão, a instalar entrechoques.

Daí o nosso dever básico de vigiar a nos mesmos na conversação, ampliando os recursos de entendimento nos ouvidos alheios.

Sejamos indulgentes.

Se erramos, roguemos perdão.

Se outros erraram, perdoemos.

O mal que desejarmos para alguém, hoje, suscitará o mal para nós, amanhá.

A mágoa não tem razão justa e o perdão anula os problemas, diminuindo complicações e perdas de tempo.

E assim que a espontaneidade no bem estabelece a caridade real.

Quem não reconhece as próprias imperfeições demonstra incoerência. Quem perdoa desconhece o remorso.

Ódio é fogo invisível na consciência.

O erro, por isso, não pede aversão, mas entendimento.

O erro, nosso, requer a bondade alheia; erro de outrem, reclama a clemência nossa.

A Humanidade dispensa quem a censure, mas necessita de quem a estime.

E ante o erro, debalde se multiplicam justificações e razões. Antes de tudo, é preciso refazer, porque o retorno à tarefa é a consequência inevitável de toda fuga ao dever.

Quanto mais conhecemos à nos mesmos, mais amplo em nós o imperativo de perdoar.

Aprendemos co o evangelho, a fonte inexaurível da verdade.

Você, amostra da Grande Prole de Deus, carece do amparo de todos e todos solicitando-lhe amparo.

Saiba, pois, refletir o mundo em torno, recordando que se o espelho, inerte e frio, retrata todos os aspectos dignos e indignos á sua volta, o pinto consciente buscando criar atividade superior, somente exterioriza na pureza da tela os ângulos nobres e construtivos da vida.

Do livro Ideal Espirita, por André Luiz, psicografia de Chico Xavier.